Quem sou eu

Minha foto

Sou Fotógrafo Profissional, Sertanista e atualmente trabalho com fotografia de Eventos Sociais em SP.
Tecnologia do Blogger.

quinta-feira, 31 de agosto de 2017

Os ipês floridos

Fotografia de Adriano Toledo em Monte Sião MG
Thoureau, que amava muito a natureza, escreveu que se um homem resolver viver nas matas para gozar o mistério da vida selvagem será considerado pessoa estranha ou talvez louca. Se, ao contrário, se puser a cortar as árvores para transformá-las em dinheiro (muito embora vá deixando a desolação por onde passe), será tido como homem trabalhador e responsável. Lembro-me disso todas as manhãs, pois na minha caminhada para o trabalho passo por um ipê rosa florido.
A beleza é tão grande que fico ali parado, olhando sua copa contra o céu azul. E imagino que os outros, encerrados em suas pequenas bolhas metálicas rodantes, em busca de um destino, devem imaginar que não funciono bem.
Gosto dos ipês de forma especial. Questão de afinidade. Alegram-se em fazer as coisas ao contrário. As outras árvores fazem o que é normal — abrem-se para o amor na primavera, quando o clima é ameno e o Verão está pra chegar, com seu calor e chuvas. O ipê faz amor justo quando o inverno chega, e a sua copa florida é uma despudorada e triunfante exaltação do cio.
Conheci os ipês na minha infância, em Minas, os pastos queimados pela geada, a poeira subindo das estradas secas e, no meio dos campos, os ipês solitários, colorindo o Inverno de alegria. O tempo era diferente, moroso como as vacas que voltam em fim de tarde. As coisas andavam ao ritmo da própria vida, nos seus giros naturais. Mas agora, de repente, esta árvore de outros espaços irrompe no meio do asfalto, interrompe o tempo urbano de semáforos, buzinas e ultrapassagens, e eu tenho de parar ante esta aparição do outro mundo. Como aconteceu com Moisés, que pastoreava os rebanhos do sogro, e viu um arbusto pegando fogo, sem se consumir.
Ao se aproximar para ver melhor, ouviu uma voz que dizia: “Tira as sandálias dos teus pés, pois a terra em que pisas é santa”. Acho que não foi sarça ardente. Deve ter sido um ipê florido. De fato, algo arde, sem queimar, não na árvore, mas na alma. E concluo que o escritor sagrado estava certo. Também eu acho sacrilégio chegar perto e pisar as milhares de flores caídas, tão lindas, agonizantes, tendo já cumprido sua vocação de amor.
Mas sei que o espaço urbano pensa diferente. O que é milagre para alguns é canseira para a vassoura de outros. Melhor o cimento limpo que a copa colorida. Lembro-me de um pé de ipê, indefeso, com sua casca cortada a toda volta. Meses depois, estava morto, seco. Mas não importa. O ritual de amor no Inverno espalhará sementes pela terra e a vida triunfará sobre a morte, o verde arrebentará o asfalto.
A despeito de toda a nossa loucura, os ipês continuam fiéis à sua vocação de beleza, e nos esperarão tranquilos. Ainda haverá de vir um tempo em que os homens e a natureza conviverão em harmonia.
Agora são os ipês rosa. Depois virão os amarelos. Por fim, os brancos.
Cada um dizendo uma coisa diferente. Três partes de uma brincadeira musical, que certamente teria sido composta por Vivaldi ou Mozart, se tivessem vivido aqui.
Primeiro movimento, 'Ipê Rosa', andante tranquilo, como o coral de Bach que descreve as ovelhas pastando. Ouve-se o som rural do órgão.
Segundo movimento, 'Ipê Amarelo', rondo vivace, em que os metais, cores parecidas com as do ipê, fazem soar a exuberância da vida.
Terceiro movimento, 'Ipê Branco', moderato, em que os violoncelos falam de paz e esperança.
Penso que os ipês são uma metáfora do que poderíamos ser. Seria bom se pudéssemos nos abrir para o amor no Inverno...
Corra o risco de ser considerado louco: vá visitar os ipês. E diga-lhes que eles tornam o seu mundo mais belo. Eles nem o ouvirão e não responderão. Estão muito ocupados com o tempo de amar, que é tão curto. Quem sabe acontecerá com você o que aconteceu com Moisés, e sentirá que ali resplandece a glória divina.


Texto do Escritor mineiro Rubem Alves

segunda-feira, 28 de agosto de 2017

6 coisas que você deve manter em segredo, segundos os sábios orientais

Os povos antigos eram dotados de uma sabedoria incomparável.
Muitas de suas descobertas e ensinamentos sobreviveram até os dias de hoje – e isso não é por acaso.
Os sábios orientais, por exemplo, deixaram muitos ensinamentos que se mantêm atualizados até os dias atuais.
E vamos compartilhar com você alguns desses ensinamentos do mundo oriental:
1. Nunca revele o que você está planejando para o seu futuro
Comentar o que pretende fazer no futuro pode resultar numa grande frustração: desistência. As pessoas podem ser bastante negativas e levar você a desacreditar no seu sonho.Mantenha segredo entre você e Deus.Quando tudo já estiver bem encaminhado, comemore com quem ama.
2. Não compartilhe com os outros sobre as limitações de seu corpo
Sabe quando você tem dores, cansaço ou enfrenta dificuldades para realizar algumas atividades? Se possível, não compartilhe isso com todo mundo.O corpo é algo muito pessoal e você deve aprender a ser forte e conviver com ele sem lamentações.
3. Não se vanglorie de seus atos mais caridosos
Se você ajuda alguém, deve fazer por amor e não para se vangloriar. O ego pode estimular essa atitude horrível, mas fuja ao máximo da arrogância.Além de se colocar numa situação bem complicada, você também pode deixar outras pessoas constrangidas e humilhadas.
4. Evite se gabar da sua coragem e do seu valor
Quando alguém é digno de admiração, as pessoas reconhecem facilmente, não é preciso você se gabar.O máximo que vai conseguir se autopromovendo são críticas e uma imagem nada positiva.
5. Não desperdice seu tempo falando mal dos outros
Quando falamos mal dos outros, estamos revelando muito mais sobre nós do que sobre quem reclamamos.Além disso, o ambiente fica pesado e a mente cheia de pensamentos ruins.
6. Não diga todos os problemas que sofre em sua vida pessoal
Há quem sai divulgando, até nas redes sociais, os problemas que vem enfrentando.Lembre-se de que é muito importante se preservar. Quando falamos demais, corremos o risco de revelar segredos ou de ficarmos muito vulneráveis diante de quem nos ouve.  
Imagem ilustrativa. Divulgação/Google 
Fonte:http://www.curapelanatureza.com.br/post/08/2017/6-coisas-que-voce-deve-manter-em-segredo-segundo-os-sabios-orientais

Incrível Pão de Banana sem Glúten, sem Ovos, sem Leite e muito saudável e saboroso!

Este pão de banana pode ser aquela opção deliciosa e saudável que você estava pensando em preparar para o lanche da tarde.
É um pão especial que, com certeza, vai agradar a toda a família sem fazer mal à saúde.
Ele não tem glúten, leite nem açúcar refinado.
Isso significa que você pode comer sem nenhuma preocupação.
O pão de banana é tão natural que pode entrar na dieta de vegetarianos e veganos.
E foi pensando nessas vantagens que resolvemos compartilhar a receita com você.
Quando fazemos nossa própria comida em casa, passamos a ter mais segurança e controle do que comemos.
Afinal das contas, sabemos bem quais ingredientes que estamos consumindo e a qualidade deles.
Algumas comidas compradas podem vir com aditivos químicos ou ingredientes que causam reações alérgicas.
Neste caso, estamos livres disso.
Pode confiar!
Vamos à receita:
INGREDIENTES
(molhados)
3 colheres (sopa) de sementes de linhaça trituradas
9 colheres (sopa) de água
4 ou 5 bananas (o suficiente para produzir cerca de dois copos de purê de banana e sobrar uma banana para decoração)
3 colheres (sopa) de xarope de bordo (pode ser mel ou estévia líquida)
2 colheres (chá) de extrato de baunilha
INGREDIENTES (secos)
1/2 xícara de farinha de amêndoa ou de coco
1 colher (chá) de sal marinho
1 colher (chá) de fermento em pó
1/2 colher (chá) de bicarbonato de sódio
1/2 colher (chá) de canela
1/2 colher (chá) de noz-moscada
1/2 colher (chá) de gengibre em pó
1 punhado de amêndoas picadas (opcional)
MODO DE PREPARO
Misture as sementes de linhaça com a água numa tigela, cubra e leve para a geladeira por 15 minutos.
Preaqueça o forno a 180 graus.
Depois unte uma forma de pão.
Num outro recipiente, misture as bananas amassadas, o xarope de bordo (ou mel/estévia líquida) e o extrato de baunilha.
Num tigela pequena, junte todos os ingredientes secos e reserve.
Quando as linhaças que estão na geladeira já estiverem inchadas, leve-as à mistura molhada (ou seja, à mistura de banana, xarope bordo e extrato de baunilha).
Em seguida, junte delicadamente a mistura seca com a mistura molhada, levando para a forma.
Por fim, decore suavemente as amêndoas sobre a massa, caso deseje.
A banana que sobrou, corte e coloque por cima do prato.
Leve a forma para o forno por 45 minutos.
Depois retire e deixe esfriar por 15 minutos.
Feito isso, tire o pão da forma, corte e desfrute da delícia.

Fonte:http://www.curapelanatureza.com.br/post/07/2017/incrivel-pao-de-banana-sem-gluten-sem-ovos-sem-leite-e-muito-saudavel-e-saboroso

quinta-feira, 24 de agosto de 2017

Casal brasileiro cria embalagem vegana para substituir plástico filme e papel alumínio

 Um produto ecológico, fabricado com matérias-primas biodegradáveis, começou a ser vendido no Brasil em julho. O Keep Embalagens Ecológicas foi desenvolvido pelo casal Lucas Bastos e Carla Enero, moradores de Joinville (SC), para ser usado como substituto ao plástico filme (ou PVC) e ao papel alumínio no armazenamento de alimentos. Ele é feito de tecido 100% algodão, mel ou cera de carnaúba (na versão vegana) e resina de árvore. Reutilizável, pode durar até um ano.
Entre os variados usos do Keep já testados pelo casal, e por quem adquiriu o produto, estão o acondicionamento de pratos, pedaços de frutas ou legumes que sobram das receitas; de sanduíches ou lanches para levar à escola ou ao trabalho, de pães frescos, entre outros. Ele serve até mesmo para embalar barras de sabonete usados em viagem. O Keep pode ainda substituir as embalagens descartáveis na pesagem de produtos a granel.
Os responsáveis pelo desenvolvimento do produto explicam que se inspiraram em uma embalagem similar conhecida na Austrália, país onde moraram no ano de 2015. “Eu gostei tanto da ideia que decidi tentar produzir um para usarmos na nossa casa quando voltamos ao Brasil. Depois de tantas tentativas, adaptações, erros e acertos, o produto ficou tão bom que pensamos em fazer dele um negócio e dar acesso a esse utensílio tão maravilhoso para mais pessoas”, conta Carla.
Além de durar vários reusos, o Keep também ajuda na conservação dos alimentos. A fina película que envolve o algodão é respirável, mantendo o alimento hidratado dentro da embalagem. “Isso permite que o alimento respire e troque o ar com o ambiente externo, o que é ótimo para conservação. Basta observar a lógica da natureza das cascas de frutas, cascas de ovos e até mesmo da nossa pele. E falando em conservação, lembramos que a cera de abelha tem propriedades antibacterianas, o que ajuda a preservar por mais tempo os alimentos”, explica Lucas.
Junto a essas vantagens, o produto é confeccionado em diversos modelos de estampas coloridas, decorativas e que dão um ar mais alegre na cozinha ou geladeira. Também possui um aroma agradável, fruto das matérias-primas usadas na sua fabricação. A higienização para reuso é muito simples: basta limpar suavemente com um pano úmido e deixar secar à sombra. Quando não puder mais ser reutilizado, pode ser descartado sem culpa na lixeira ou destinado à compostagem.
Apesar de todas essas vantagens, para Carla e Lucas, o principal benefício do Keep é a possibilidade de substituir o uso de plásticos, que vêm se tornando um problema sério para o meio ambiente a cada ano. Mesmo sendo recicláveis, o plástico PVC ou papel alumínio são poucos reaproveitados. 
Estudo publicado por cientistas norte-americanos revela que mais de 70% da produção total de plásticos no mundo vão parar em esgotos, em ambientes a céu aberto ou acabam poluindo rios e oceanos. 
“O Keep faz parte de um movimento internacional chamado Beeswax Food Wrap Movement, que está ajudando a reduzir a quantidade de plástico descartado no nosso planeta, sendo utilizado já em muitos países. Ao desenvolver a ideia no Brasil, queremos que o produto possa contribuir com a redução do impacto do plástico no nosso país”, afirma Carla.
Onde comprar:
O produto é fabricado nos tamanhos P (18x20cm), M (25×28 cm), G (33x35cm) e XG (38x47cm). Podem ser vendidos separadamente ou em kits com três unidades. Os preços variam de R$ 14,90 a R$ 75 (valor do kit com três unidades do tamanho G), sem valor de frete incluído. Inicialmente, as vendas estão sendo feitas pela página da marca no Facebook e no Mercado Livre. São aceitos pedidos de todo país.

Fonte:http://ciclovivo.com.br/noticia/casal-brasileiro-cria-embalagem-vegana-para-substituir-plastico-filme-e-papel-aluminio/

sexta-feira, 18 de agosto de 2017

Chá de Cordão de Frade - Conheça seus benefícios!

Com origem da África Tropical, o cordão de frade ou cordão de São Francisco é uma planta da família da menta que é cheia de propriedades benéficas para a saúde física e mental. No Brasil, essa planta é encontrada em quase todas as regiões, exceto o Sul por ser muito frio e a condição climática não é favorável. Existem várias formas de se usar essa planta, embora a mais conhecida seja a infusão.
Sua produção é anual e se dá por sementes. A altura da planta varia entre 30 cm a 90 centímetros. Suas folhas são macias e perfumadas e se parecem com bolas de espinhos, a cor que predomina é a laranja.
A erva é bastante conhecida por suas propriedades terapêuticas e curadoras. Os problemas respiratórios são o destaque entre seus benefícios, ou seja, quem sofre de asma, bronquite ou outras doenças desse trato podem investir no cordão de frade. Outro ponto a se destacar sobre o uso dessa planta é que ela ajuda crianças que saíram recentemente de quadros de doenças debilitantes a recuperar a taxa de glóbulos vermelhos e dá resistência.
NOME CIENTÍFICO: Leonotis nepetaefolia (L.) W.T. Aiton
FAMÍLIA BOTÂNICA: Lamiaceae.
NOMES POPULARES: Catinga-de-mulata, cauda-de-leão, coração-de-frade, cordão-de-frade-pequeno, cordão-de-frade-verdadeiro, cordão-de-são-francisco, corindiba, leonuro, pau-de-praga, rubim, rubim-de-bola, tolonga.

Suas propriedades:
São ótimas para quem sofre de problemas nos rins;
Aliviam os gases e é recomendada para dores abdominais;
Ajudam a aliviar a circulação do sangue e desincha o pé depois de um longo dia.
Além de todos os seus benefícios medicinais, a planta pode ser usada também como um condimento na cozinha. Suas folhas podem ser usadas tanto em saladas como em molhos.
Demais casos que podem ser tratados pelo chá:
Fraqueza
Reumatismo
Gases
Cistite
Ácido úrico
Febre
Dor no abdômen
Problemas no estômago
Malária
Nevralgia
Espasmos
Preparando o chá de cordão de frade
O chá da erva cordão de frade é muito simples de ser feito. Para isso, compre as folhas naturais ou trituradas em uma lojinha de produtos naturais. Comece colocando duas colheres de sopa das folhas trituradas em um litro de água e leve ao fogo. Espere o líquido começar a ferver e desligue o fogão. Tampe a panela e deixe em infusão por dez minutos, mais ou menos. Passado esse tempo de descanso, coe e beba duas ou três xícaras da bebida ao dia. Geralmente as folhas do cordão de frade são saborosas e o chá não necessita de ser adoçado, contudo, se preferir, coloque um pouco de mel natural ou açúcar mascavo. Evite o açúcar cristalizado (branquinho), pois ele tende a cortar os efeitos benéficos do chá.
Curiosidades
Para quem é fã de testar novos ingredientes na salada, o cordão de frade é uma ótima opção. Suas folhas têm um gostinho bem peculiar e deixará o prato muito mais especial.
Não só os problemas físicos podem ser tratados com o cordão de frade. Adultos que sofrem de problemas psicológicos no âmbito das capacidades pessoais e profissionais devem fazer uso dessa planta, pois ela ajuda a acalmar e dar mais coragem para realizar as tarefas do dia.
Fontes extraídas dos link:https://www.chabeneficios.com.br/cha-de-cordao-de-frade-para-que-serve/ - https://www.beneficiosdasplantas.com.br/cordao-de-frade/
As duas primeiras fotos foram extraídas de:http://www.remediosdavovo.com.br/2015/03/cordao-de-frade.html 
 A terceira é autoria de Nicodemos Rosa

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Aprenda a fazer Cisterna de Placas


A falta de água é um problema crônico, antes restrito ao Nordeste. Agora todo Brasil sofre com a falta de chuvas.Os problemas que a falta de água provoca, são mais sentidos  nos meses de agosto e setembro, ápice da falta da estiagem principalmente no sudeste do Brasil. O Nordeste está bem avançado nesta questão de combate a falta de água. Desde o início dos anos 80 as Cisternas de Placas são incentivadas pelos governos municipais, estaduais e federais. Raro casas no sertão nordestino que tenha uma cisterna de placas. A ideia pode ser usada também no sudeste, principalmente em Minas Gerais, que sofre constantemente com a falta de chuvas no Centro Oeste, Norte e Vale do Jequitinhonha em especial. Esse tipo de cisterna é fácil de fazer, relativamente barata e armazena em média 20 mil litros de água de chuva. Veja como é feita:
A cisterna de placas é um tipo de reservatório d’água cilíndrico, coberto e semienterrado, que permite a captação e o armazenamento de águas das chuvas, aproveitadas a partir do seu escoamento nos telhados das casas, através de calhas de zinco ou PVC.A cisterna de placas permite o armazenamento de água para consumo humano em reservatório protegido da evaporação e das contaminações causadas por animais e dejetos trazidos pelas enxurradas.O tamanho da cisterna varia de acordo com o número de pessoas da casa e do tamanho do telhado.Fabricando as placas
Essa cisterna tem algumas vantagens.
Do ponto de vista técnico, é uma estrutura fácil de construir.
Basta que a pessoa tenha algum conhecimento sobre construção.
É uma tecnologia que utiliza menos material que os demais modelos existentes.
Pode-se utilizar de mão-de-obra familiar e o seu custo é bem inferior ao dos outros modelos.
Montagem da cisterna de placas

A cisterna fica enterrada no chão até mais ou menos dois terços da sua altura.
Sua totalidade consiste em placas de concreto com tamanho de 50 por 60 cm e com 3 cm de espessura (mistura cimento : areia de 1 : 4), que estão curvadas de acordo com o raio projetado da parede da cisterna, variando conforme capacidade prevista.
Há variantes onde, por exemplo, as placas de concreto são menores e mais grossas, e feitas de um traço de cimento mais fino.
Estas placas são fabricadas no local de construção em moldes de madeira.
A parede da cisterna é levantada com essas placas finas, a partir do chão cimentado.
Para evitar que a parede venha a cair durante a construção, ela é sustentada com varas até que a argamassa esteja seca.
Depois disso, um arame de aço galvanizado (No.12 ou 2,77 mm) é enrolado no lado externo da parede e essa pé rebocada.
Num segundo momento, constrói-se a cobertura com outras placas pré-moldadas em formato triangular, colocada em cima de vigas de concreto armado, e rebocadas por fora.

Armação da parede e reboco externo de cisterna de placa
Depois disso, um arame de aço galvanizado (No.12 ou 2,77 mm) é enrolado no lado externo da parede e essa é rebocada.
Em seguida a parede interna e o chão são rebocados e cobertos com nata de cimento forte.


O telhado da cisterna, cônico e raso, também é feito de placas de concreto, que estão apoiados em estreitos caibros de concreto.
Um reboco somente externo é suficiente para dar firmeza.
O espaço vazio em volta da cisterna é cuidadosamente aterrado.
Assim a terra apóia a cisterna.

O processo de construção da cisterna ocorre a partir de 8 etapas principais.
Abaixo são apresentadas as etapas, com informações e recomendações técnicas relativas ao processo de construção:
1 – Escavação do buraco
• A construção deve ser próxima à casa;
• O tipo de terreno influi na profundidade da escavação e na estabilidade da cisterna;
• Não construir próximo a árvores, currais e fossas (distância mínima de 10 a 15 metros);
2 – Fabricação das Placas
• Areia média (nem grossa nem fina) lavada e peneirada;
• Proporção: 4,0 latas de areia por 1 lata de cimento;
3 – Fabricação dos caibros
• A fabricação dos caibros é feita com massa de concreto com vergalhão retorcido;
• Material: 2 latas de areia, 2 de brita e 1 de cimento (areia grossa);
• 4 tábuas com 1,30m comprimento, 6cm de largura, 2 a 3 cm de espessura;
• 17 varas de vergalhão ¼ de polegadas, (fazer um gancho na extremidade de cada vara de vergalhão nos 10cm finais);
4 – Levantamento das paredes
a) Fabricação de laje do fundo
• Traço de concreto com 4 latas de areia grossa, 3 de brita e 1 de cimento;
• Espessura de 3 a 4 cm;
• Riscar 1,73 m do centro até as bordas (Raio);
b) Assentamento das placas
• Material: 2 latas de areia por 1 lata de cimento;
• 102 varas finas de madeira para escorar as placas;
• A distância de uma placa para a outra é de 2cm;
c) Amarração das paredes
• Arame galvanizado Nº 12;
• A amarração pode ser feita 1 hora após o levantamento das placas;
• Iniciar pela base, (todas as voltas de arame deverão ser bem distribuídas na parede da cisterna);
d) Reboco das paredes
• Areia fina: traço 3 latas de areia para 1 de cimento. (correspondente ao reboco interno);
• Areia fina: traço 5 latas de areia para 1 lata de cimento (correspondente ao reboco externo);
• Obs.: Iniciar primeiro o reboco externo, para só então iniciar o reboco interno;
e) Reboco do fundo da cisterna
• A mesma massa do reboco interno da parede;
f) Aplicação do impermeabilizante
• Deve ser feita 1 ou 2 dias, após a construção da cisterna no interior da mesma;
• Misturar o impermeabilizante com cimento (passar até três demãos);
• Obs: colocar água na cisterna após que a mesma esteja pronta, para não ressecar;
5 – Cobertura
a) Colocação do Pilar Central;
b) Posicionamento dos caibros;
c) Colocação das placas do teto;
d) Reboco do teto
> 5 latas de areia para 1 de cimento;e) Acabamento
> Pintura com cal;
6 – Colocação do Sistema de Captação
• É feita por meio de calhas de bica, que são presas aos caibros do telhado da casa e canos que ficam entre as calhas e a cisterna.
Na entrada da cisterna deve-se colocar um coador para evitar o ingresso de sujeira no interior da mesma;
7 – Retoques e acabamentos
• Esta fase consiste em fazer uma cinta de argamassa para juntar os caibros à parede da cisterna;
• Material: Areia fina e cimento: traço 5 latas de areia para 1 lata de cimento;
• Fixação de Placa de Identificação (conforme modelo padrão – II).
8 – Instalação da bomba manual
• Esta fase consiste em instalar adequadamente a bomba d’água na cisterna.
Vantagens e Desvantagens
Vantagens:

– as ferramentas necessárias, inclusive a madeira para fazer os moldes, estão disponíveis em todas as comunidades rurais;
– a retirada da água acontece com facilidade pelo lado de cima, não é preciso ter uma torneira;
– é muito adequada para projetos pequenos de construção de cisternas, que prevêem a construção de um número limitado de cisternas em um curto tempo;
– baixo custo de construção;
– a água é fresca, já que a maior parte da cisterna fica debaixo da terra.
Desvantagens:
– a construção exige pedreiros qualificados.
Para a população é difícil riscar na placa de fundação o círculo perfeito com o raio correto para a parede fina.
O contorno só pode ter uma margem de erro de 2 cm.
Levantar a parede apresenta a mesma dificuldade;
– a aderência entre as placas de concreto pode ser insuficiente, principalmente no sentido horizontal.
Tensões podem provocar fissuras por onde a água vaza;
– a parte subterrânea não pode ser examinada para detectar vazamentos;
– o buraco a ser cavado tem que ter um diâmetro em 0,6 m maior que o diâmetro da cisterna, para possibilitar os trabalhos na parede externa. Isso significa que para uma cisterna de 10 m3, que 12 m3 de terra tem que ser retirados (cavando até uma profundidade de 1,60 m);
– entre a fabricação das placas e o início do levantamento das paredes é preciso aguardar cerca de três semanas para que o concreto possa curar (endurecer) o suficiente;
– um conserto de vazamentos é impossível na maioria das vezes.
Quais os custos de uma cisterna de placa?
Os custos atuais variam bastante de região para região, o custo médio é de R$ 1.500,00 (á epoca???).
Os materiais necessários são: cimento, ferro, arame galvanizado, arame recozido, bica (zinco 30 cm), areia, brita, impermeabilizante, joelho 75mm, cano PVC 75 mm, T 75mm, tampa, cadeado 25mm, cal hidratada, filtro (tela fina), kit bomba manual e placa de identificação.
As cisternas têm capacidade de armazenar 16 mil litros cúbicos de água, quantidade suficiente para suprir a necessidade de uma família de cinco pessoas por um período de seca de 8 meses.
A mão-de-obra é um pedreiro treinado e a própria família, que precisa aprender não só a construir a cisterna, mas como fazer sua manutenção e como tratar a água.
Pedreiros são treinados para fazer cisternas. Pela obra recebem em torno de R$ 175,00 (á epoca???).
Dá-se preferência a pedreiros da própria comunidade.
Veja nesse link no youtube o vídeo de como se faz a Cisterna de Placas. Copie e cole o link:https://youtu.be/pmxHCjs17wY
fontes: mds.gov
http://www.fazfacil.com.br/reforma-construcao/cisterna-de-placas/
Imagens extraídas do Google

Os 25 alimentos mais alcalinos! A verdadeira prevenção contra câncer, diabetes, alzheimer e doenças do coração!

Quem não sabe que produtos processados, açucarados e com ingredientes químicos são péssimos para a saúde?
Pois é, a maioria está ciente disso, mas os fast-foods, por exemplo, não deixam de estar cheios.
Esse tipo de alimento altera o pH do nosso corpo, causando consequências terríveis.
O correto é que o nosso organismo seja alcalino, mas o ser humano insiste na má alimentação, acidificando o sangue.
Se você não sabe, o pH ácido afeta o sistema imunológico, abrindo espaço para muitas doenças graves.
Por isso, é muito importante que você faça de tudo para que seu corpo atinja o pH ideal.
Para ajudar você a manter sua saúde e bem estar, nós apresentaremos uma lista de alimentos alcalinos que devem ser consumidos regularmente:
1. Acelga
Este é um dos alimentos mais alcalinos.
Nos protege contra vírus, bactérias e radicais livres.
2. Melão
Esta fruta ajuda a eliminar toxinas e a alcalinizar o pH.
A melancia também é muito benéfica.
3. Trigo sarraceno: substitua o trigo tradicional pelo sarraceno.
Além de não ter glúten e aumentar nossa energia, este trigo, se consumido regularmente, melhora a função cardiovascular.
Onde se compra trigo sarraceno?
Em boas lojas de produtos naturais.
Se não encontrá-lo em sua cidade, certamente poderá comprá-lo pela internet em alguma loja virtual.
4. Linhaça
Esta semente é altamente alcalina, com fibras e muita vitamina E.
O que isso significa?
Que ela pode combater inflamações e reduz sintomas das menopausa.
Quer conhecer outros alimentos alcalinos?
Veja aqui:
- Abacate: 
composto por gorduras monoinsaturadas saudáveis que fortalecem o coração.
- Banana: é riquíssima e nutritiva.
- Amora: é rica em antioxidantes.
- Cenoura: contém betacaroteno e é conhecida pela capacidade de melhorar a visão.
- Alho: regula a pressão arterial.
- Brócolis: diminui o colesterol.
- Uvas: contém muitas vitaminas e antioxidantes, além de ser ótimas para hipertensos.
- Abacaxi: proporciona perda de peso saudável.
- Brotos: são de fácil digestão e cheios de enzimas e proporcionam equilíbrio hormonal.
- Limão: fruta alcalina, apesar de ter o sabor ácido; previne resfriados, tosse e gripe.
- Couve-de-bruxelas: ótimo anticancerígeno.
- Couva-flor: rica em antioxidantes.
- Laranja: rica em vitamina C, fortalecendo a imunidade.
- Algas marinhas: abundantes em iodo e ferro e diminuem bastante a acidez do organismo.
- Quinoa: regula o açúcar no sangue.
- Pepino: formado por 90% de água, o que deixa a pele saudável e mais jovem.
- Salsa: desintoxica intestinos.
- Manga: limpa o cólon.
- Mamão-papaia: é um laxante natural e libera toxinas do cólon.
- Painço: cereal alcalino; bem melhor que o arroz.
- Rúcula: possui uma grande quantidade de cálcio e vitamina A, excelentes para o corpo.


Este é um blog de notícias sobre tratamentos caseiros. Ele não substitui o trabalho de um especialista. Consulte sempre seu médico. (imagem ilustrativa, extraída do Google,sem autoria identificada)
Fonte: http://www.curapelanatureza.com.br/post/08/2017/os-25-alimentos-mais-alcalinos-verdadeira-prevencao-contra-cancer-diabetes-alzheimer-e

terça-feira, 15 de agosto de 2017

5 plantas para ficar no seu quarto e ajudar você a dormir melhor

Muita gente tem a ideia equivocada que dormir com plantas no quarto faz mal.
Mas como diz o botânico Gilberto Kerbauy, da Universidade de São Paulo, se isso fosse verdade, "não haveria um índio vivo na Floresta Amazônica”.
É claro que existem plantas mais apropriadas para ficar no quarto.
Essas plantas purificam o ar e aumentam os níveis de oxigênio.
E farão você dormir e respirar melhor.
Aqui estão cinco delas:
Lavanda

Imagem ilustrativa, extraída do Google
Esta planta alivia a ansiedade e ajuda os insones.
Inalar o perfume de lavanda proporciona um efeito calmante e sedativo.
Babosa (aloe vera)
Imagem ilustrativa, extraída do Google
Especialistas acreditam que ela tem um forte poder desintoxicante e anti-inflamatório.
Além disso, a babosa é uma planta especial para ter em sua casa, uma vez que elimina substâncias químicas contidas em produtos de limpeza.
E também purifica o ar.
Aqui um dado relevante: quando exposta em área altamente poluída, a babosa desenvolve manchas marrons e sinais de que algo está errado em termos de qualidade do ar.
Jasmim
Fotografia de Arnaldo Silva
 Ele é capaz de dar uma boa noite de sono de uma forma completamente natural.
O melhor sobre o jasmim é que, além de melhorar a qualidade do sono, reduz a ansiedade.
Você nunca mais vai acordar irritado novamente.
Espada-de-são-jorge

Ela purifica o ar e aumenta os níveis de oxigênio.
E é provavelmente a melhor planta para ficar no seu quarto.
A espada-de-são-jorge absorve o dióxido de carbono e emite oxigênio durante a noite.
Se você precisa melhorar a qualidade do seu sono e respirar facilmente, esta planta é ideal para você.

Hera
Os cientistas dizem que esta planta é excelente para a purificação do ar.
Ela absorve perigosíssimas toxinas, como o benzeno e o formaldeído.
É certamente uma das melhores plantas para você manter em seu quarto.
(foto ao lado extraída do site lantasonya.com.br)
Fonte da matéria:
http://www.curapelanatureza.com.br/post/12/2015/5-plantas-para-ficar-no-seu-quarto-e-ajudar-voce-dormir-melhor

segunda-feira, 14 de agosto de 2017

Verdadeira fonte da juventude, água de Cloreto de Magnésio rejuvenesce e cura

Você muito provavelmente já ouviu falar do cloreto de magnésio.
Quem já tomou esse medicamento natural sempre fica impressionado com os seus maravilhosos resultados.
Não é por menos.
O cloreto de magnésio produz equilíbrio mineral, impulsiona os órgãos e suas funções, como os rins, para eliminar o ácido úrico.
Recupera as articulações, purifica o sangue, revitaliza o cérebro, rejuvenesce e conserva a juventude até alta idade.
A água de cloreto de magnésio é a melhor forma de consumir este remédio natural.
Não compre em cápsulas, que, além de mais caro, não tem a eficiência desta receita.
Qualquer boa loja de produto natural vende o cloreto de magnésio.
Um pacotinho de 33 gramas é baratinho, custa entre R$ 5,00 e R$ 10,00.
Mas tem que ser o cloreto de magnésio PA (a sigla significa "puro para análise").
O PA aparece na embalagem quando é esse tipo de cloreto de magnésio.
Ele não vicia o organismo, mas deixando de tomá-lo perde-se a proteção por caírem as reservas de magnésio.
As doenças, dores e o desgaste natural serão bem atenuados ou até eliminados com o consumo da água de cloreto de magnésio.
A dose é um copinho de café, conforme a idade.
A tabela abaixo facilita:
Idade:

De 10 a 40 anos: metade de uma dose pela manhã
de 40 a 70 anos: uma dose pela manhã
de 71 em diante: uma dose pela manhã e outra à noite
Seus principais efeitos são:
- Previne esclerose múltipla
- Previne gripes
- É um excelente reforço para o tratamento contra o câncer
- Previne o acúmulo de gordura localizada
- Combate a obesidade
- Atrasa o envelhecimento
- Elimina a prisão de ventre
- Cura hemorróidas e problemas de próstata
- Ajuda a curar artrite, artrose, reumatismo, bico de papagaio, esporão e problemas nas articulações, inclusive nos joelhos.
COMO PREPARAR A ÁGUA DE CLORETO DE MAGNÉSIO
Use uma água pura, sem cloro e, se possível, também sem flúor.
Dissolva numa jarra 33 gramas de cloreto de magnésio em 1 litro de água filtrada.
Depois de bem misturado, colocar em uma jarra de vidro (não use recipiente de plástico).
A dose é de um copinho de café, conforme a idade (ver tabela acima).
O cloreto de magnésio é contraindicado em casos de diarreia e de insuficiência renal.
E o uso exagerado (grandes doses) pode causar náuseas, vômitos, diarreia e desconforto abdominal.
Para um consumo mais seguro do cloreto de magnésio, consulte seu médico antes.

Este é um blog de notícias sobre tratamentos caseiros. Ele não substitui um especialista. Consulte sempre seu médico.
Fonte:http://www.curapelanatureza.com.br/post/09/2016/verdadeira-fonte-da-juventude-agua-de-cloreto-de-magnesio-rejuvenesce-e-cura

quarta-feira, 9 de agosto de 2017

Novo teste revela o nome das marcas que estão falsificando azeites de Oliva

A associação de consumidores Proteste fez uma nova avaliação dos azeites comercializados no Brasil.
O teste foi feito por laboratórios credenciados pelo Ministério da Agricultura e se baseou em normas internacionais de interesses do consumidor.
O resultado desse novo teste foi divulgado no fim de março de 2017.
E mais uma vez constatou-se a prática de fraude por algumas marcas.
Segundo o teste, seis marcas estão enganando o consumidor, c cinco delas não estão vendendo sequer azeite de oliva puro.
A pesquisa revelou que essas cinco marcas têm óleos de sementes oleaginosas nos seus produtos.
As marcas são: Tradição, Figueira da Foz, Torre de Quintela, Pramesa e Lisboa.
A marca Beirão também foi reprovada, mas por outro motivo: o produto é vendido como extravirgem, porém o teste provou que era apenas “virgem”
O teste da associação foi feito por laboratórios credenciados pelo Ministério da Agricultura.
E se baseou em normas internacionais de interesses do consumidor, avaliando os seguintes fatores: rotulagem, acidez, conservação, qualidade (avaliando a presença de umidade, impurezas, metais), fraudes (/assuntos/fraudes) e análise sensorial.
O azeite da marca O-Live foi escolhido o melhor de todos.
A Qualitá/Carrefour, Ciscount e Filippo Berio também foram apontadas como boas opções de compra.
O interessante é que essas três marcas tinham sido reprovadas no teste anterior realizado pela Proteste.
Veja a seguir o resultado completo da avaliação da Proteste:
 

resultado_azeite_1.jpg

Fontes:www.proteste.org.br
http://www.curapelanatureza.com.br/post/05/2017/novo-teste-revela-o-nome-das-marcas-que-estao-falsificando-azeite-de-oliva - Imagem ilustrativa, extraída do link:http://www.tribunadenoticias.com.br/2017/03/azeites-decepcionam-novamente-em-teste.html

terça-feira, 8 de agosto de 2017

Conheça a NOZ, o fruto da Nogueira e suas propriedades.


Um fruto de casca rija, em botânica, é um fruto seco com apenas uma semente (raramente duas) no qual a parede do ovário ou parte dela torna-se muito dura na maturidade. A maioria dos frutos de casca rija vem dos pistilos com ovários inferiores (veja flor) e não abrem na maturidade.
Exemplos de frutos de casca rija verdadeiras são os frutos dos carvalhos (bolotas), das avelaneiras, das faias, das castanheiras, das nogueiras e a castanha-de-caju.
Culinária
"Fruto de casca rija", em culinária, são uma categoria muito menos restritiva do que nozes na botânica, o termo é normalmente mal aplicado a muitas sementes que não são nozes verdadeiras. Qualquer semente grande, oleaginosa, com casca dura e usada como alimento pode ser considerada como uma noz. Porque as nozes têm geralmente um índice elevado do óleo, são um alimento e uma fonte de energia altamente apreciada. Um grande número sementes são comestíveis por seres humanos e são usadas na arte culinária, comidas cruas, germinadas ou torradas, como um aperitivo ou em doçaria, ou ainda espremidas para lhe extrair o óleo que é usado na culinária e em cosméticos.
A maioria dos tipos de bolotas são amargas demais para se comer (a menos que sejam lixiviadas), por causa dos taninos. Apesar dessa desvantagem, a bolota é um alimento importante em várias regiões.
Bolo de caramelo com cobertura de NOZ.
A receita você pode encontrar no link:https://www.perfeita.net/bolo-de-caramelo-com-cobertura-de-noz/
Alimento
Uma espécie relacionada, a Aesculus californica, era ingerido anteriormente pelos índios americanos da Califórnia nas épocas de escassez.
Frutos de casca rija são uma fonte nutritiva e significativa para a vida selvagem. Isto é particularmente verdade em locais de clima temperado onde animais como gaios e esquilos armazenam bolotas e outras nozes durante o outono para se preparem para a falta de comida durante o inverno até a chegada da primavera.
Reprodução
Frutos de casca rija de clima temperado são provenientes de árvores da ordem Fagales, geralmente polinizadas pelo vento: a bolota (a semente do carvalho);o fruto da faia;a avelã;
a noz pecã; a noz da nogueira.
Nozes "não verdadeiras"
Algumas "nozes" que não são verdadeiras no sentido botânico: as amêndoas, em que a parte comestível é a semente de uma drupa (fruto carnoso, com apenas uma semente); a avelã chilena (Gevuina); as castanhas-do-pará são sementes de uma cápsula
o coco é um drupa; a castanha-da-índia (não é comestível, é uma cápsula); o amendoim é na verdade um grão, o fruto e sementes de um legume; a noz macadâmia de origem australiana; o pinhão é a semente de várias espécies de pinheiro (coníferas).
A castanha-da-índia (Aesculus hippocastanum), além de comestível, é também usada em um velho jogo de crianças, no qual uma noz é enfiada em um cabo forte e então cada criança tenta quebrar a do seu oponente batendo-lhe com a sua.
Valor Nutricional
As nozes, apesar do sabor agradável, por muito tempo foram consideradas inconvenientes para alimentação humana por serem ricas em gordura. Entretanto algumas dessas oleaginosas, trazem um grande benefício para a saúde pois ajudam a controlar o colesterol ruim e por consequência ajudam a proteger o coração.
Composição química
Cada 100 gramas de noz contém:
Calorias - 572 kcal [9][14]
Tamanho - 1,2 cm
Vitamina A - 2g
Vitamina B1 (Tiamina) - 0 mcg
Vitamina B2 - 0,9 mcg
Fósforo - 380 mg
Cálcio - 90 mg
Sódio - 2 mg
Magnésio - 3,4 mg

Fonte da informação: Wikipédia
As fotos foram extraídas do Google, sem autoria identificada. Caso os autores se identifique, basta entrar em contado solicitando a inserção dos créditos nas imagens que será feito de imediato.

domingo, 6 de agosto de 2017

Criança precisa de Micróbios, Não de Antibióticos, para desenvolver a Imunidade, dizem os cientistas.

Sim, é claro que é importante lavar as mãos. O problema é - no ocidente pelo menos - os pais decidiram levar à sério demais esse negócio de manter tudo limpo.
A nova ciência mostra que descartar os minúsculos organismos chamados de micróbios com nossos desinfetantes de mãos, sabonetes antibacterianos e doses exageradas de antibióticos está tendo um impacto profundamente negativo no sistema imunológico de nossos filhos, diz a microbiologista Marie-Claire Arrieta, co-autora de um livro chamado “Deixe-os comer sujeira: salvando nossos filhos de um mundo ultrapassado”.
Os especialistas acreditam que a limpeza exagerada está contribuindo para uma série de condições crônicas que vão desde alergias a obesidade. Marie-Claire Arrieta explica que quando nascemos, não temos micróbios. Nosso sistema imunológico está subdesenvolvido. Mas assim que os micróbios entram em ação, eles ativam o nosso sistema imunológico para funcionar corretamente. Sem micróbios, nosso sistema imunológico não pode combater bem as infecções.
A hipótese do excesso de higiene pode explicar por que as alergias, bem como a obesidade e a doença inflamatória do intestino e mesmo o autismo, são doenças que estão em ascensão. A explicação, contudo, não é apenas genética, de acordo com Marie-Claire Arrieta. Ela diz que nossos genes simplesmente não mudam tão rápido. A pesquisa está mostrando consistentemente que a falta de exposição aos micróbios está colaborando com a ascensão destas doenças. Os cientistas consideram que esta exposição no início de nossas vidas é necessária para que nossos sistemas imunológicos sejam treinados adequadamente e, eventualmente, possam evitar o desenvolvimento dessas doenças.
Evidências epidemiológicas mostram que as crianças que estão crescendo em um ambiente rural têm menos chance de desenvolver asma. Claro que você não pode simplesmente pegar suas coisas e ir morar numa fazenda. Mas o que isso sugere é que viver em um ambiente menos limpo é realmente melhor. A mesma lógica se aplica para o benefīcio de quem tem um animal de estimação, especificamente um cão. Estudos também mostraram que limpar tudo que entra na boca do bebê aumenta suas chances de asma. A incidência de asma diminui se a chupeta é limpa na boca dos pais.
A higiene é crucial para a nossa saúde, claro. Não devemos parar de lavar as mãos. Mas devemos fazer isto na hora que seja eficaz para a prevenção de doenças, ou seja: antes de comer e depois de usar o banheiro. Qualquer outra vez, não é necessário. Então, se seu filho estiver no quintal brincando com terra, você não precisa remover essa sujeira, avisam os cientistas. Deve haver um equilíbrio entre prevenir a infecção, que ainda é uma ameaça real na sociedade, mas também promover esta exposição microbiana que, para os estudiosos, é saudável.


Foto ilustrativa extraída do site:http://www.clinicavaccine.com.br/saude/25
Este texto é uma tradução livre da entrevista em inglês feita pelo blogueiro Brandie Weikle (editor do site thenewfamily.com). A íntegra em inglês pode ser lida aqui: "Children need microbes — not antibiotics — to develop immunity, scientists say"

sábado, 5 de agosto de 2017

Conheça os Ipês Vermelho, Verde e Tabaco

Amarelo, roxo, branco e rosa são as espécies de ipês mais comuns no Brasil, mas não são as únicas espécies de Tabebuias existentes. Em Minas Gerais, existem mais 3 espécies de ipês nativos.
Os ipês vermelho, verde e tabaco existem, embora não sejam tão conhecidos como os ipês comuns, são lindos e belos da mesma forma. Detalhe que são nativos de Minas Grais do Cerrado e Caatinga do Estado Mineiro. 
Autoria desconhecida da imagem acima. Assim que identificarmos o autor, os créditos serão inseridos.
Ipê -vermelho ou Púrpura (Tabebuia gemmiflora Rizzini & A. Mattos)
O Ipê-vermelho é da família das Bignoniaceae. É uma planta nativa exclusivamente da Caatinga do Vale do Jequitinhonha, em Minas Gerais. Por ser pouco conhecido, sua dispersão pelo restante do Estado é bem restrita.
Folhas do Ipê-vermelho. Fotografia de Simone Carvalho (http://sites.unicentro.br/wp/manejoflorestal/ipe-purpura/)
Sua madeira é usada nas carvoarias da região e para abastecer fogões à lenha.
Autoria desconhecida.
Em algumas cidades, são bastante usadas na arborização urbana, já que essa espécie de ipê é de porte médio, atingindo de 8 a 10 metros de altura, com 20 centímetros de diâmetro. 
Suas raízes são profundas e não danificam calçadas.
A florada começa em agosto e termina em setembro, sendo ótima para polinização, é um grande atrativo para as abelhas. A frutificação e liberação da sementes ocorre no fim da florada e são dispersas pelo vento.
cápsula cilíndrica glabra.
As flores do Ipê-vermelho são compostas de 3 foíiolos. Fotografia de Simone Carvalho
(http://sites.unicentro.br/wp/manejoflorestal/ipe-purpura/)
Bibliografia consultada: LORENZI, H. Árvores Brasileiras: manual de identificação e cultivo de plantas arbóreas nativas do Brasil. Vol. 3, 1. Ed. Nova Odessa, SP: Instituto Plantarum, 2009.384 p.
Ipê-verde (Cybistax antisyphilitica)

Foto do site http://arvores.brasil.nom.br
O Ipê-verde é uma planta nativa do Cerrado. Tem várias denominações, dependendo da região é conhecido por Ipê verde, caroba de flor verde, caroba brava, ipê de flor verde, ipê mandioca, ipê da várzea, aipê, cinco chagas,ipê pardo, Caroba do campo, carobinha verde, jacarandá.
É uma planta de porte médio, de 5 a 10 metros de altura. Em algumas regiões pode ultrapassar 15 metros de altura. Seu tronco tem entre 15 e 40 centímetros.
http://www.globaltree.com.br/ipe-verde.html
O Ipê Verde é ótimo para o paisagismo urbano, principalmente arborização de ruas estreitas. Sua florada acontece entre dezembro e março. Sua flores são tubulosas, na cor verde.
O extrato do ipê-verde vem sendo usado contra a larva do mosquito Aedes-aegypti, transmissor da dengue. Ainda não foi comprovado mas acredita-se que o ipê-verde tenha propriedades medicinais.
Ipê tabaco - Zeyheria tuberculosa
Foto extraída do site arvores.brasil.nom.br/new/ipetabaco/
O ipê-tabaco (Zeyheria tuberculosa), também conhecido por ipê-felpudo, bolsa-de-pastor, camaruçu, bucho-de-boi, ipê-bóia, ipê-cabeludo, ipê-cumbuca, ipê-preto, ipê-una, velame-do-mato e saco-de-carneiro, é uma espécie de planta da família Bignoniaceae. É chamado de ipê, mas não faz parte do gênero Tabebuia.
Nativa das florestas de todo o sudeste e partes do centro-oeste e nordeste do Brasil, com grande potencial madeireiro e silvicultura, vem sendo ameaçada de extinção pela exploração madeireira, agropecuária e carvoaria. É também usada na arborização urbana.

Flores do Ipê-tabaco. Fotografia de Reinaldo Brito
Distribuição
Possui uma distribuição muito ampla no Brasil, abrangendo os estados de Minas Gerais, São Paulo, Mato Grosso do Sul, Espírito Santo, Rio de Janeiro, Goiás e Bahia. Ocorre em florestas pluviais e florestas estacionais semi-decíduas, sobre os mais variados solos, desde regiões do Planalto Central e zonas de altitude das serras do Espinhaço, da Mantiqueira e do Mar, até o litoral do Espírito Santo, suportando bem os climas: seco do interior, quente e úmido no litoral, e frio sujeito a geadas, mais ao sul e nos topos de serras.
Características
Ipê-tabaco florido
É uma árvore pioneira de médio a grande porte, atinge mais de 30 m de altura e diâmetro superior a 80 cm (geralmente com 15–20 m x 30–50 cm).
Sua copa é colunar quando jovem, cônica a globosa quando adulta, encimando um longo fuste retilíneo, com ramos ascendentes e ramificação racemosa. Tronco reto, cilíndrico, com mais de 2/3 da altura da árvore. Casca grossa com 2 a 5 cm de espessura, cinza-clara a pardo-amarelada, profundamente sulcada e muito fissurada, formando longas cristas longitudinais; internamente revestida por inúmeras e finas camadas fibrosas, com aspecto de papel pardo, estratificadas, que se soltam em longas tiras quando puxadas. Ramos grossos, gretados, ásperos, felpudos quando novos. Suas flores são pequenas muito escuras, florescem de novembro a janeiro.
Sua madeira é de excepcional qualidade, sendo conhecida no exterior como Brazilian-walnut. é talvez a melhor espécie de madeira para pisos de luxo, muito apreciada pela construção-civil. (fonte sobre o Ipê-tabaco: Wikipedia)

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Conheça o projeto EcoVida

Postagens populares

Seguidores