Quem sou eu

Minha foto

Sou Fotógrafo Profissional, Sertanista e atualmente trabalho com fotografia de Eventos Sociais em SP.
Tecnologia do Blogger.

segunda-feira, 29 de maio de 2017

Árvores nativas de Minas Gerais

Minas Gerais tem seu território formado por 56% de Cerrado, 41% de Mata Atlântica e os outros 3% de matas de transição. Por isso nosso Estado é rico em biodiversidade e nossa flora riquíssima. Temos várias espécies nativas do solo mineiro, que você irá conhecer agora. Devemos valorizar o que temos em nossa flora. Assim recuperamos matas ciliares, matas nativas e recuperamos área degradadas com o que é nativo. Conhecer nossas espécies nativas ajudará bastante.Ao criarem projetos de arborização e paisagismo, valorize a nossas árvores nativas, a nossa flora local. (na foto acima, Jacarandá Mimoso/Caroba - Jacaranda cuspidifolia) 
Mudas Nativas de Minas Gerais
Caso você queira conhecer melhor cada espécie,pode copiar o nome popular  e científico, e colar no Google. Dai terá terá a história da planta. (as informações da lista são do site mudanativas.org)

Nome PopularNome Científico
AbacateiroPersea pyrifolia
Acoita Cavalo GraudoLuehea grandiflora
Acoita Cavalo MiudoLuehea divaricata
Açoita Cavalo PretoLuechea candicans
AgulheiroSeguieria langsdorffii
Albizia / Farinha SecaAlbizia polycephala
AldragoPterocarpus violaceus
Alecrim De CampinasHolocalyx balansae
AlgodoeiroHeliocarpus americanus
Amendoim BravoPterogyne nitens
Anda AssuJoannesia princeps
Angelim PedraAndira anthelmia
Angico BrancoAnadenanthera colubrina
Angico Do CerradoAnadenanthera peregrina
Angico Do CerradoAnadenanthera falcata
Angico Monjolo/Vermelho/PretoAnadenanthera macrocarpa
Angico Rosa / GurucaiaParapitadenia rigida
Araça Do MatoCampomanesia guazumifolia
Araçá RoxoMyrcia citrifolia
Araca-Amarelo /DocePsidium cattleianum
Araca-RoxoPsidium myrtoides
AraribáCentrolobium tomentosum
Araticum CagãoAnnona cacans
Araticum Do CerradoAnnona coriacea
Araticum Do MorroRollinia sylvatica
Aroeira BrancaLithraea molleoides
Aroeira Pimenteira/Aroeira MansaSchinus terebinthifolia
Aroeira PretaMyracrodruon urundeuva
Aroeira SalsaSchinus molle
Babosa BrancaCordia superba
BaruDipterys alata
BracatingaMimosa scabrella
BranquilhoSebastiania commersoniana
CabeludaMyrciaria glazioviana
CabreuvaMyrocarpus frondosus
Cabreuva VermelhaMyroxylon peruiferum
Café De BugreCordia ecalyculata
CanafistulaCassia ferruginea
CanafistulaPeltophorum dubium
Candiúba /Crindiuva/PeriquiteiroTrema micrantha
Canela BrancaNectandra lanceolata
Canela De CotiaEsenbeckia grandiflora
Canela PretaNectandra megapotamica
Canela SeboOcotea puberula
Canela-FerrugemCassia ferruginea
CanjeranaCabralea canjerana
Capitão AmareloTerminalia brasiliensis
Capitão Do CampoTerminalia argentea
CapixinguiCroton floribundus
CapororocaRapanea gardneriana
Capororoca FerrugemRapanea ferruginea
Capororoca GraudaRapanea umbellata
Casca-D’antaCabralea canjerana
Cassia GrandeCassia grandis
Castanha Do MaranhãoBombacopsis glabra
Castanha-Do-ParáCroton floribundus
Catiguá BrancoTrichilia silvatica
CaviunaDalbergia villosa
CebolãoPhytolaca dioica
Cedro RosaCedrela fissilis
Cedro-Do-BrejoCassia grandis
Cerejeira Do MatoEugenia involucrata
Chá De BugreCordia sellowiana
Chico PiresLeucocholoron incuriale
Chuva De OuroLophantera lactencens
CondessaRollinia mucosa
CopaíbaCopaifera langsdorffii
Copororoca BrancaRapanea guianensis
Coração De NegroPoecilanthe parviflora
Coracao De Negro/Pessegueiro BravoPrunus sellowii
CorticaRollinea sericeae
CorticeiraErythina fusca
CorticeiraErythrina crista
CuvatãCupania versalis
DedaleiroLafoensia pacari
EmbaubaCecropia hololeuca
EmbaubaCecropia pachystachya
Embira De SapoLonchocarpus campestris
Embira De SapoLonchocarpus muehlbergianus
EmbiruçuPseudobombax grandiflorum
Escova De MacacoApeiba tibourbou
Espinho MaricáMimosa bimucronata
EugeniaEugenia florida
Falso BarbatimãoCassia leptophylla
Figueira BrancaFicus guaranitica
Fruta SabiáAcnistus arborenses
Fruto De MacacoPosoqueria acutifolia
Fruto De PomboTapirira guianensis
Fumo BravoSolanum mauritianum scopoli
Gabiroba De ArvoreCampomanesia xanthocarpa
GoiabaPsidium guajava
GrumixamaEugenia brasilienses
Grumixama AmarelaEugenia brasiliensis
Grumixama RoxaEugenia brasiliensis
GuabirobaFicus guaranitica
GuabirovaCampomanesia guaviroba
GuaçatungaCasearia sylvestris
GuamirimEugenia glazioviana
GuamirimEugenia sonderiana
GuanandiCalophyllum brasiliensis
GuapuruvuSchizolobium parahyba
GuaramirimPlinia rivelaris
GuaramirimPlinia aureana
GuarantãEsenbeckia leiocarpa
GuaritáAstronium graveolens
Guatambú OlivaAspidosperma parvifolium
Guatambu VermelhoAspidosperma ramiflorum
GuaxupitaEsenbeckia grandiflora
Imbiruçu *Pseudobombax longiflorum
Ingá CipóInga edulis
Ipê AmareloTabebuia chrysotricha
Ipê AmareloTabebuia ochracea
Ipê Amarelo/TabacoTabebuia alba
Ipê BrancoTabebuia roseoalba
Ipê Da VarzeaTabebuia umbellata
Ipê RosaTabebuia avellanedae
Ipê Roxo Bola/RoxoTabebuia impetiginosa
Ipê Roxo De Sete Folhas/RoxoTabebuia heptaphylla
Ipê VerdeCybistax antisyphilitica
Ipe-Preto/Ipe-FelpudoZeyheria tuberculosa
JaboticabaMyrciaria trunciflora
JabuticabaMyrciaria jaboticaba
JabuticabaMyrciaria cauliflora
JabuticabaMyrciaria cuspidata
Jacarandá Do CampoMachaerium acutifolium
Jacaranda Mimoso/CarobaJacaranda cuspidifolia
JaracatiáJacaratia spinosa
JatobáHymenaea courbaril
JenipapoGenipa americana
JeriváSyagrus romanzoffiana
JoazeiroZizyphus joazeiro
JurubebaSolanum paniculatum
LeiteiroPeschiera fuchsiaefolia
LixeiraAloysia virgata
Louro Branco/PretoCordia glabrata
Louro PardoCordia trichotoma
Mamica De PorcaZanthoxylum rhoifolium
Mamica Fedorenta/ MamiqueiraZanthoxylum rugosum
Mamica-De-Porca
Maminha CadelaBrosimum gaudichaudii
Mamoninha Do MatoEsenbeckia febrifuga
Manaca Da SerraTibouchina mutabilis
Maria MoleDendropanax cuneatum
Maria PretaDiospyros inconstans
MarinheiroGuarea guidonia
Marmelada Do CampoAlibertia sessilis
Marmeleiro Do CampoAustroplenckia populnea
MonjoleiroAcacia polyphylla
MulunguErythrina falcata benth.
MulunguErytrina speciosa
Mulungu Sapatinho De JudeuErithrina falcata
MuricíByrsonima verbacifolia
Murici Do BrejoByrsonia sericea
MutamboGuazuma ulmifolia
OitiLicania salzmannii
Oiti MirimLicania tomentosa
Olho De CabraOrmosia arborea
Orelha De Macaco/TimborilEnterolobium contortisiliquum
PaineiraChorisia glaziovii
Paineira Do CerradoEriotheca pubencens
Painera/Painera-RosaChorisia speciosa
Palmito JussaraEuterpe edulis
Pau BrasilCaesalpinia echinata
Pau CigarraSenna multijuga
Pau D’alhoGallesia integrifolia
Pau De LeiteSapium glandulatum
Pau Fava/FedegosoSenna macranthera
Pau FerroCaesalpinia ferrea
Pau FormigaTriplaris americana
Pau JacaréPitadenia gonoacantha
Pau JangadaAlchornea triplinervea
Pau MarfimBalfourodendron riedelianum
Pau PomboTapira obtusa
Pau-PereiraLicania salzmannii
Peroba De RegoAspidosperma discolor
Peroba RosaAspidosperma polyneurom
Pindaiva/PindaibaDuguetia lanceolata
Pinhão AraucariaAraucaria angustifolia
PitangaEugenia uniflora
Pitanga PretaEugenia uniflora
Pitanga VermelhaEugenia uniflora
QuaresmeiraTibouchina grandiflora
Quaresmeira Rosa/RoxaTibouchina granulosa
Sabão De SoldadoSapindus saponaria
SaguarajiColubrina glandulosa
SaguarajiRhamnidium elaeocarpus
Salta MartinSenna macranthera
Sangra D’aguaCroton urucurana
Sansão Do Campo/SabiáMimosa caesalpiniaefolia
SapateiroPera glabratta
SarandiSebastiana membranifolia
SibipirunaCaesalpinia peltophoroides
SucupiraPterodon emarginathus
Sucupira BrancaAcosmium subelegans
SuinãErithrina falcata
SuinãErythrina crista
TaiúvaMaclura tinctória
TamanqueiroAegiphyla sellowiana
TapiáAlchornea grandulosa
TarumãVitex montevidensis
TarumãVitex megapotamica
Taruma Do CerradoVitex polygama
UbáMyrcia glabra
Unha De VacaBauhinia longifolia
Unha-De-Vaca/Pata-De-VacaBauhinia forficata
UrucumBixa orelana
UvaiaEugenia pyriformes
VacumAllophylus edulis
Vassoura PretaVernonia discolor

domingo, 28 de maio de 2017

Evite o consumo de Margarina. Saiba o porquê!

A margarina foi criada no século XIX como um substituto mais barato (e mais saudável) que a manteiga.
Quando surgiu, era uma mistura de sebo de vaca, leite desnatado, partes menos nobres do porco e da vaca e bicarbonato de sódio.
Seu processo atual inclui o uso de solventes de petróleo (geralmente o hexano, bem barato), ácido fosfórico, soda, resultando numa substância marrom e malcheirosa, que sofre novo tratamento com ácidos clorídrico ou sulfúrico, altas temperaturas e catalisação com níquel, que deixa o produto parcialmente hidrogenado.
Isso resulta em um produto com longo prazo de conservação, textura firme mesmo em temperatura ambiente, que não rancifica, não pega fungos nem é atacado por insetos ou roedores.
Enfim, é um não alimento.
O processo todo acaba por formar uma substância rica em um tipo particular de gordura chamado "trans", insólita na natureza e de efeitos nocivos ao homem.
Além disso, a gordura da margarina causa mais danos à saúde que a gordura saturada, segundo o FDA, órgão americano de fiscalização de alimentos e remédios.
Alguns anos atrás, saiu um artigo nos Estados Unidos alertando sobre os perigos desse produto e falando das implicações que as poderosas multinacionais americanas estavam sofrendo no próprio país por colocar no mercado produtos comparáveis ao cigarro em termos de periculosidade.
Curioso é que a repercussão no Brasil infelizmente foi pequena.
A margarina pode estar relacionada a:
- disfunções imunológicas
- danos no fígado e digestivos
- danos no pulmão e órgãos reprodutivos
- diminuição na capacidade de aprendizado e crescimento
- problemas de peso
- aumento no risco de câncer
- transtornos do metabolismo do colesterol
- incremento de aterosclerose
- doenças cardíacas
A manteiga, por sua vez, que muitos acham não ser boa para a saúde, é mais saudável, acompanha a humanidade há dezenas de séculos, pode ser feita artesanalmente no ambiente familiar e só foi considerada nociva e politicamente incorreta após a Revolução Industrial, que conseguiu deformar nosso entendimento de saúde e bom senso.
Você ainda não se convenceu de que a margarina é péssima para a saúde?
Faça a seguinte experiência: quando estiver fazendo calor, coloque uma margarina nova (veja a validade) fora da geladeira.
Deixe ela assim sem refrigeração por dias.
Sabe o que vai acontecer?
O produto vai estragar?
Vai mofar?
Nada disso vai acontecer.
Sabe por quê?
Porque a margarina não é um alimento, e sim uma "bomba" inventada pela indústria, com uma única preocupação: faturar, faturar e faturar.

Este é um blog de notícias sobre tratamentos caseiros. Ele não substitui um especialista. Consulte sempre seu médico.
Fonte:www.curapelanatureza.com.br/post/08/2016/voce-nunca-deveria-comer-margarina-aqui-esta-o-porque

O que as formigas fazem com as folhas do jardim?

Se você acha que as formigas comem as folhas do seu jardim, prepare-se para aprender algo novo. Na verdade, elas usam esses vegetais para cultivar um tipo de fungo, que é usado como principal alimento da colônia.
O inseto também pode ser considerado como um Hulk do reino animal: as formigas carregam na boca o equivalente a um humano segurando mais de 270 quilos sozinho!
Depois de transportarem as folhas para ninhos subterrâneos, as formigas se encarregam de cortá-los em pedacinhos ainda menores e despejam líquidos fecais pra ajudar no cultivo de fungos.
Para acompanhar tudo isso em detalhes na colônia de saúvas
 (Atta cephalotes), assista ao vídeo abaixo!
Fonte: Science Magazine
http://www.manualdomundo.com.br/2015/06/o-que-as-formigas-fazem-com-as-folhas-do-jardim/

Imagem ilustrativa: Google

sexta-feira, 26 de maio de 2017

Conheça a Canela: origem, uso, indicações e plantio

Autoria da imagem momentaneamente desconhecida.
A canela é uma árvore originária do Ceilão, da Birmânia e da Índia e conhecida há mais de 2500 anos a.C. pelos chineses. Seu nome científico, "cinnamomum", segundo referências, é derivado da palavra indonésia "kayu manis", que significa "madeira doce". Mais tarde, recebeu o nome hebreu "quinnamon", que evoluiu para o grego "kinnamon".
A canela era a especiaria mais procurada na Europa e seu comércio era muito lucrativo. O monopólio do comércio da canela esteve nas mãos dos portugueses no século XVI, passou para os holandeses, com a Companhia das Índias Orientais, quando esses expulsaram em 1656 os portugueses do Ceilão, e depois, passou para as mãos dos ingleses, a partir de 1796, quando esses ocuparam essa ilha.
As canelas são algumas das espécies mais antigas conhecidas pela humanidade. A mais difundida é a Cinnamomum zeylanicum, originária do Ceilão, atual Sri Lanka. Outras, entretanto, como a Cássia (Cinnamomum cassia), chamada de falsa-canela e conhecida como canela-da-China, também têm importância econômica. Esta espécie é uma Laurácea arbórea muito cultivada nas províncias do sudoeste da China. As partes mais úteis das canelas são o córtex dessecado e o óleo. O óleo é obtido das folhas por destilação, por arraste a vapor. Seu principal constituinte é o aldeído cinâmico, cujo teor pode ser superior a 80%.
Considerada símbolo da sabedoria, a canela foi usada na Antigüidade pelos gregos, romanos e hebreus para aromatizar o vinho e com fins religiosos na Índia e na China. Entre as muitas histórias da canela, conta-se que o imperador Nero depois de matar com um pontapé sua esposa Popea, tomado de remorsos ordenou a construção de uma enorme pira para cremá-la. Nessa pira foi queimada uma quantidade de canela suficiente para o consumo, durante 1 ano, de toda a cidade de Roma! Mesmo sem a importância que teve no passado e não sendo mais motivo de lutas entre os povos, a canela continua indispensável, como tempero na culinária moderna.
A Cinnamomum zeylanicum cresce bem em solo brasileiro, onde já foi bem cultivada no passado, tendo sido introduzida pelos jesuítas. A canela é mencionada até em passagens bíblicas. No Livro dos Provérbios da Sagrada Escritura, por muitos atribuído a Salomão, no versículo "As Seduções da Adúltera", é feita a seguinte referência à canela:
"Adornei a minha cama com cobertas, com colchas bordadas de linho do Egipto.
Perfumei o meu leito com mirra, alóes e cinamomo ...
Vem ! Embriaguemo-nos de amor até ao amanhecer,
Porque o meu marido não está em casa;
Que o teu coração não se deixe arrastar pelos caminhos dessa mulher,
A sua casa é o caminho para a sepultura,
Que conduz à mansão da morte".

Simbolicamente, a canela é uma especiaria ligada ao amor, sendo empregada muitas vezes como ingrediente para perfumes mágicos e poções para conquistar a pessoa amada. Há quem acredite que ela atrai o sucesso nos negócios, trazendo sorte e determinação para a resolução de problemas.
Ficha da planta
Família: Lauráceas
Origem: Ceilão, Birmânia, Índia
Outros nomes populares: caneleira, caneleira-da-índia, caneleira-de-ceilão, cinamomo e pau-canela.
Outros Idiomas: cinnamomi (latim), cinnamon (inglês), canela (espanhol), cannelle (francês), cannella (italiano) e zimt (alemão).
Características: A caneleira é uma árvore que requer cerca de 1.300 mm de chuva por ano e temperatura média anual de superior a 21° C. A casca dos ramos é comercializada em rama (pau), raspas e pó. A caneleira é utilizada na culinária e na fabricação de bebidas, medicamentos, perfumes e sabonetes. Outras espécies do gênero Cinnamomum e Cassia também produzem canela. A canela é uma árvore de ciclo perene e que atinge até 8 a 9 metros de altura. O tronco alcança cerca de 35 centímetros de diâmetro.
As folhas são coriáceas, lanceoladas, com nervuras na base, brilhantes e lisas na parte superior e verde-claras e finamente reticuladas na parte inferior. As flores são de coloração amarela ou esverdeada, numerosas e bem pequenas, agrupadas em cachos ramificados.
Composição Química: acetato de eugenol, ácido cinâmico, açúcares, aldeído benzênico, aldeído cinâmico, aldeído cumínico, benzonato de benzil, cimeno, cineol, elegeno, eugenol, felandreno, furol, goma, linalol, metilacetona, mucilagem, oxalato de cálcio, pineno, resina, sacarose, tanino e vanilina.
Partes Usadas: Óleo essencial e casca desidratada.
Propriedades Medicinais: Adstringente, afrodisíaca, anti-séptica, aperiente, aromática, carminativa, digestiva, estimulante, hipertensora, sedativa, tônica e vasodilatadora.
Cultivo e Conservação

Clima indicado: quente, com temperatura constante e chuvoso.
Exposição solar: Plena
Propagação e formação de mudas: a multiplicação é feita por meio de sementes, originárias de plantas produtivas, vigorosas e sadias. A semeadura é direta em saquinhos de polietileno após a retirada da polpa, a 1 cm de profundidade, preenchidos com terra de boa qualidade.
Solo indicado: textura arenosa, leve e bem drenado.
Espaçamento: 3,5 x 2,5m ;3 x 3m ou 2,5 x 2m ou mais adensado, de acordo com o manejo a ser utilizado. As covas são de 40 x 40 x40 cm, abertas e adubadas 30 a 60 dias antes do plantio.
Adubação: esterco de animal curtido, húmus ou matéria orgânica, incorporados a 60 centímetros de profundidade.
Necessidade de água: Elevada
Proteção contra o sol: a planta necessita de proteção contra os raios solares nos primeiros meses após o plantio, o que pode ser feito com folhas de palmeiras ou outro material disponível.
Colheita da Casca: 5 anos após o plantio, quando ela naturalmente se solta do tronco (geralmente no outono).
Secagem da casca: primeiramente em local sombreado e bem ventilado por 4 a 5 dias; em seguida é exposta ao sol, não muito intenso.
Armazenamento: em recipientes de vidro bem limpos e fechados.
Usos:
Culinária: para condimentar presunto e alguns tipos de carne, no preparo de doces, pães doces, arroz-doce, bolos, tortas de frutas, cremes para pastéis e panquecas doces, frutas condimentadas, compotas, pudins e bebidas quentes como o chocolate e o café.
Cosmética: para dar brilho nos cabelos; usada em pastas dentais e óleos bronzeadores.
Saúde: Contra gases abdominais, úlceras estomacais causadas por stress, hipertensão arterial, resfriados e dores abdominais.
Contra-Indicações: gestantes.
Efeitos Colaterais: irritações na pele.

Fontes de pesquisa: Angelo C. Pinto - Instituto de Química, Universidade Federal do Rio de Janeiro e livro "Segredos e Virtudes das Plantas Medicinais".

sexta-feira, 19 de maio de 2017

Matos de comer

Por Marina Kawata*
Eu compro praticamente todas as minhas verduras com o Seu Jorginho, que é avô do marido da minha amiga. Ele tem uma horta orgânica cuidada com muito carinho. Cada pedaço de terra tem alguma planta diferente e o Seu Jorginho gosta de novidade, então vira e mexe me mostra um novo ingrediente que está crescendo por aqueles cantinhos. Dificilmente eu saio de lá sem aprender algo com esse senhor de 72 anos, cheio de amor e respeito pelos alimentos. Numa das minhas primeiras visitas descobri que um matinho mantido em volta dos canteiros da horta fez parte do sustento da sua família nos tempos difíceis de pouco dinheiro. Assim eu conheci a serralha e muitos outros matos comestíveis ricos em vitaminas e minerais. Pesquisando, soube que os tais matos vêm sendo bastante explorados e têm até um nome simpático: PANCs (Plantas Alimentícias Não Convencionais). Muitos deles são considerados matos para uns mas são comidas habituais para outros, tudo depende do lugar. Por exemplo, na Argentina, o agrião cresce nas beiras dos rios e é desprezado pelos moradores.
Este fim de semana eu ganhei algumas PANCs do Seu Jorginho e resolvi usá-las por aqui. Logo teremos outras espécies para explorar, mas vou começar com essas três que estão em abundância nesta época. Na ordem da foto acima temos: Beldroega, Caruru e Serralha.
Beldroega
A Beldroega é uma planta que sinaliza que o solo está fértil. Ela pode ser refogada, mas seu sabor é tão suave que também fica gostosa crua, misturada a outras folhas em saladas. É rica em vitamina C e tem propriedades laxativas e diuréticas.
Caruru
Primo do amaranto, o caruru é uma planta de fácil cultivo muito rica em sais minerais, potássio e ferro. Fica ótima refogada.
Serralha
Bastante amarga, tem sabor semelhante ao da catalonia. Fica gostosa picadinha e refogada. É rica em vitaminas A,B,C, em cálcio e ferro.
Preparo das PANCs:
A beldroega eu apenas separei dos talinhos e juntei à salada de rúcula e alface.
A Serralha e o Caruru refoguei separadamente, fritando-os no azeite com cebola e alho.
A Serralha eu fiz picadinha. O Caruru tem as folhas pequenas, um pouco maiores que o manjericão, então apenas separei dos talos e refoguei inteiras mesmo. Tudo em fogo bem alto para não formar muito líquido.
Depois de refogar o Caruru, achei que o seu sabor combinaria como recheio de massa. Fiz uma focaccia, adicionei queijo minas padrão, que era o que eu tinha em casa, e levei pra assar. Ficou delícia e minha irmã, que foi jantar em casa, pensou que estava comendo escarola. Acho que o Caruru tem um sabor um pouco mais forte, mas quem gosta de escarola com certeza vai se deliciar com ele, que também deve ficar ótimo como recheio de pizza e esfiha. Foi assim que pensei, mas se descobrirem outros usos, me contem!

*Marina Kawata é jornalista e especializada em gestão de empresas, mas é na cozinha que encontrou sua paixão. É vegetariana e acredita que a alimentação saudável é a chave para a saúde, desde que a comida seja gostosa! Fonte:http://semmedida.com/jornal/matos-de-comer/

10 motivos para você consumir mais aveia

Se você não tem o costume de consumir aveia, talvez esteja na hora de repensar.
Temos bons motivos para dizermos isso.
Houve um tempo em que a aveia era considerada uma praga, pois nascia demasiadamente nos campos de cevada.
O alimento era destinado ao consumo de aos animais, e só mais tarde é que foram descobertos os benefícios da aveia para nossa saúde – graças à rica presença de fibras.
Consumir 2 colheres de aveia, que tem mais ou menos 2,9g, é o mesmo que ingerir 12% do valor diário de fibras recomendado pelo Ministério de saúde.
A ingestão diária deve ser de 25g por dia.
Veja 10 motivos para se adicionar aveia à sua dieta.
É uma excelente fonte de fibra 2 colheres de sopa de aveia fornecem 2,9 g (12% da ingestão diária recomendada).
2. Reduz o colesterol
A aveia é uma fonte natural de fibra solúvel betaglucano, que ajuda a reduzir o colesterol.
3. Ajuda no controle glicêmico
A aveia promove a absorção de carboidratos ingeridos
Isso acaba impedindo os picos de glicose após as refeições.
4. Ajuda no bom funcionamento do intestino
As fibras da aveia são benéficas para o intestino.
Elas reduzem o tempo que leva para os alimentos ser digeridos e eliminados.
Como é rica em fibras solúveis, a aveia deve ser ingerida acompanhada de água para combater prisão de ventre.
5. Sacia a fome
A fibra da aveia enche o estômago, o que dá uma sensação maior de satisfação.
Isso é ótimo para quem quer perder peso, mas vive sentindo fome.
6. Fornece energia
A aveia é rica em carboidratos, o que é muito importante para o fornecimento de energia.
7. É rica em vitaminas B1 e B2, além de ferro e magnésio.
8. É um alimento versátil
Ou seja, pode ser preparado de várias formas em diferentes refeições.
9. É um excelente lanche
Você pode consumir entre as principais refeições, assim evita o estômago vazio por muito tempo.
10. Ela ajuda a desintoxicar nosso organismo, eliminando toxinas.
E também acelera o metabolismo.
Por isso é ideal para a perda de peso.
Antes de encerrar, um esclarecimento: a aveia é um cereal que não possui glúten.
No entanto, o processo industrial pode "contaminá-la" com essa substância devido ao fato de ela passar por processamento em máquinas que também processam cereais com glúten, como o trigo.
Por isso na maioria das marcas de aveia existe o aviso "contém glúten".
Mas no mercado já existem marcas de aveia sem glúten.


Este é um blog de notícias sobre tratamentos caseiros. Ele não substitui um especialista. Consulte sempre seu médico.
http://www.curapelanatureza.com.br/post/02/2017/10-bons-motivos-para-voce-consumir-mais-aveia-partir-de-hoje

Bebida 3 em 1 de aveia e mamão.

Reduz o colesterol, limpa o intestino e ajuda a emagrecer. 
Sabemos que existem frutas que fazem verdadeiros milagres quando consumidas regularmente.
São verdadeiros presentes do Criador para nós.
Essas frutas especiais têm forte ação depurativa, ou seja, elas desintoxicam o nosso organismo, livrando nosso corpo de substâncias prejudiciais.
Uma destas frutas é o mamão.
O mamão é rico em papaína, uma enzima muito útil nos casos de dificuldade de digerir alimentos.
O mamão maduro é digestivo, diurético, emoliente, laxante e refrescante.
Ele “limpa” o aparelho digestivo.
Auxilia, além disso, na manutenção do equilíbrio ácido-alcalino do corpo.
Ele é rico em vitaminas e minerais, tendo cota generosa de vitamina A (pró-vitamina), vitaminas do complexo B e rico teor de vitamina C.
Segundo a medicina natural, o mamão é capaz de tratar mais de 40 doenças.
Uma forma excelente de utilizar o mamão e aproveitar os seus benefícios é consumindo a receita que você vai aprender agora.
A vitamina de mamão e aveia limpa todo o organismo.
Ela vai desintoxicar seu aparelho digestivo, principalmente o intestino.
Ela ajudará você a emagrecer, além de contribuir para normalizar as suas taxas de colesterol e triglicérides.Não só devido ao mamão, mas também à aveia.
A fibra solúvel chamada betaglucana é responsável por boa parte das vantagens nutricionais proporcionadas pelo consumo da aveia.
Essa fibra retarda o esvaziamento gástrico, o que tem como resultado uma sensação de maior saciedade.
Ao entrarem em contato com a água, as fibras se transformam em um gel que torna o bolo fecal maior e mais viscoso.
Com isso, ocorre uma menor absorção de substâncias presentes neste bolo, como glicose e colesterol, devido a uma menor ação de enzimas digestivas.
E, em relação ao controle do colesterol, estudos sugerem que a ação da betaglucana na diminuição dessa gordura no sangue estaria ligada à absorção de ácidos biliares.
Tais ácidos são excretados pelas fezes, diminuindo a absorção de colesterol ou ácidos graxos de cadeia curta produzidos pela ação das fibras presentes no cólon.
Portanto, o consumo regular de aveia pode estar relacionado com a diminuição da formação de placas de gorduras, que causam doenças cardiovasculares.
A parte da aveia que possui maior quantidade de betaglucanas é o farelo de aveia, seguido dos flocos e da farinha de aveia.
Veja como é simples fazer:
INGREDIENTES

Meia xícara de mamão picado
1 copo de iogurte natural desnatado
2 colheres (sopa) de farelo aveia
MODO DE PREPARO
Bata todos os ingredientes no liquidificador.
Tome imediatamente.
Beba um copo desta bebida diariamente, em substituição ao café da manhã, durante 30 dias.
Pode continuar tomando, se quiser, por mais tempo.


Este é um blog de notícias sobre tratamentos caseiros. Ele não substitui um especialista. Consulte sempre seu médico.
http://www.curapelanatureza.com.br/post/12/2016/bebida-3-em-1-de-aveia-e-mamao-elimina-colesterol-limpa-intestino-e-ajuda-emagrecer

quinta-feira, 18 de maio de 2017

Árvores do Cerrado

As fotos que aqui aparecem são de algumas árvores encontradas no Cerrado entre Goiás (desde Goiânia até Caldas Novas) entrando por Minas Gerais (Triângulo Mineiro, Alto do São Francisco, até Belo Horizonte). (foto acima de Edison Zanatto)
Na lista abaixo estão as árvores do Cerrado que encontrei por lá. Certamente estão faltando muitas, e as fotos não mostram todos os aspectos de floração e frutificação, por falta de oportunidade de visitar a região em épocas diferentes.
Clicando-se na lista pelo nome populares ou científicos, pode-se ver algumas fotos e texto daquelas que permitem link. Algumas apenas consta o nome e não há link. Estão na segunda lista algumas espécies comuns ao Cerrado e à Mata Atlântica, onde se pode linkar com a página principal de árvores.
LISTA DE ESPÉCIES ARBÓREAS ENCONTRADAS NO CERRADO
Veja também algumas espécies com duvidas quanto a identificação.
ESPÉCIES TIPICAS DO CERRADO
NOME CIENTIFICO NOMES POPULARES. Basta clicar em cada uma delas.
Vatairea macrocarpa Angelim do cerrado
Annona crassiflora Araticum
Astronium fraxinifolium Gonçalo Alves
Dimorphandra mollis Falso barbatimão
Swartzia sp Banha de galinha
Stryphnodendron adstringens Barbatimão
Dipteryx alata Baru
Zeyheria digitalis Bolsa de pastor
Mauricia vinifera (M. flexuosa) Buriti
Eugenia dysenterica Cagaita
Salvertia convallariaeodora Colher de vaqueiro
Dalbergia miscolobium Caviúna do cerrado
Lafoensia pacari Dedaleiro
Machaerium opacum Jacarandá do cerrado
Hymenaea stigonocarpa Jatobá do cerrado
Curatella americana Lixeira
Didymopanax macrocarpum Mandioqueira
Hancornia speciosa Mangaba
Alibertia edulis Marmelada de bola
Byrsonima verbacifolia Murici do cerrado
Guazuma ulmifolia Mutamba
Vochysia haenkeana Pau amarelo
Qualea grandiflora Pau terra
Caryocar brasiliensis Pequi
Salacia sp Saputá
Bowdichia virgilioides Sucupira preta
Magonia pubescens Tingui do cerrado
Virola sebifera Ucuuba ou Pau de sebo
Ouratea exasperma Vassoura de bruxa
Hirtella glandulosa Vermelhão
ESPÉCIES COMUNS AO CERRADO E MATA ATLÂNTICA
NOME CIENTÍFICO NOMES POPULARES

Schizolobium parahyba Guapuruvu
Psidium guajava Goiabeira
Inga edulis Inga
Tabebuia ochracea / T. vellosoi Ipê amarelo
Piptadenia gonoacantha Angico Jacaré
Machaerium aculeatum Jacarandá de espinho
Hymenaea courbaril Jatobá
Cariniana legalis Jequitibá
Pachira aquatica Munguba
Aegiphila sellowiana Papagaio
Xylopia aromatica Pimenta de macaco - Pindaiba
Tapirira guianensis Tapiriri
Platypodium elegans Uruvalheira
Plathymenia foliosa Vinhático

Fonte:http://www.arvores.brasil.nom.br/cerrd/lista.htm

quarta-feira, 17 de maio de 2017

8 árvores ideais para plantar em calçadas estreitas

Em volta das árvores plantadas deverá ser adotada uma área permeável, que permita a infiltração de
água e a aeração do solo. | Foto: Reprodução / Manual Arborização Urbana Prefeitura SP
Plantar uma árvore na calçada é um ótimo jeito de contribuir para a manutenção ambiental da cidade e para a biodiversidade. No entanto, antes de escolher a muda, é preciso atentar a alguns fatores essenciais. Entre os principais cuidados estão: o tipo de raiz, o porte da árvore, a origem e se a espécie é frutífera ou não.
O ideal é que em passeios públicos não sejam usadas espécies com frutos pesados, que possam causar acidentes aos pedestres, e que não sejam tão grandes a ponto de bloquear a iluminação pública ou causar danos à calçada e aos fios de transmissão de energia. De acordo com os manuais de arborização urbana, o ideal é de que em áreas com fiação convencional sejam usadas espécies de pequeno porte, cuja altura não seja superior a seis metros. Em locais com recuo predial de no mínimo três metros, com fiação ausente, protegida ou isolada, é possível usar espécies de porte médio, que chegam a 12 metros de altura, com diâmetro médio da copa em sete metros.
Dentro destes padrões, nós separamos algumas espécies nativas brasileiras, adequadas para plantios em áreas urbanas. Antes de escolher uma delas, verifique se a muda é adequada ao bioma de sua região, pois, mesmo sendo nativa, ela pode não ser endêmica, prejudicando a biodiversidade local.
– Marinheiro (Trichilia cathartica). Tem altura média de quatro a seis metros e floração entre os meses de maio e julho.
– Ipê-Mirim (Stenolobium stans). Pode chegar a sete metros de altura, tem floração entre os meses de janeiro e maio.
– Candelabro (Erytrina speciosa). Sua altura varia de quatro a seis metros. A floração vermelha acontece entre junho e setembro.
– Flanboyant Mirim (Caesalpinia pulcherrima). Tem altura média de três a cinco metros. Sua floração é bastante diversificada, aparecendo nas cores: rosa, vermelha, amarela e branca, entre os meses de setembro e maio.
– Quaresmeira (Tibouchina granulosa). Sua altura varia de oito a doze metros. As flores roxas ou rosadas costumam aparecer entre os meses de janeiro e abril e também entre junho e agosto.
– Cambuci (Campomanesia phaea). Com altura entre três e cinco metros, esta árvore tem flores grandes e brancas. Mas, seu principal destaque são os frutos, que costumam aparecer entre os meses de fevereiro e março.
– Pitangueira (Eugenia uniflora). Sua altura varia de dois a quatro metros. A árvore produz pequenos frutos e folhes brancas, ideais para alimentar abelhas.
– Jabuticabeira (Eugenia cauliflora). Esta espécie pode chegar a dez metros de altura. Ela costuma florescer entre a primavera e o verão, produzindo grandes quantidades de frutos.

Abaixo estão os links diretos para os manuais de arborização urbana de diversas cidades brasileiras. Clique em uma delas para acessar o material. Os documentos contêm instruções para o plantio e indicações de espécies adequadas ao bioma.
São Paulo, SP – Uberaba, MG – Fortaleza, CE  – Recife, PE – Belo Horizonte, MG  – Rio de Janeiro, RJ 
Redação CicloVivo
Fonte: http://ciclovivo.com.br/noticia/8-arvores-ideais-para-plantar-em-calcadas/

terça-feira, 16 de maio de 2017

O verdadeiro pão saudável

Totalmente sem farinha, sem glúten e muito fácil de fazer!
Todo mundo sabe que o pão é o alimento mais popular do mundo.
E isso não é de hoje, basta olhar algumas passagens bíblicas para perceber que ele era o principal alimento da mesa.
O sucesso do pão é tão grande que muitas famílias não passam um dia sem ir à padaria.
Além de saboroso não é um alimento caro.
No entanto, infelizmente, o pão de hoje já não é tão saudável.
Além do glúten (hoje em maior quantidade em razão das manipulações genéticas sofridas pelo trigo), há muitos aditivos químicos no pão industrial.
Por isso o ideal é fazer o pão em casa.
Neste post, compartilharemos a receita de um pão caseiro supersaudável.
Ele é totalmente livre de farinha, ou seja, zero glúten.
E também é rico em vitaminas, minerais, fibras e proteínas.
É perfeito para quem quer emagrecer ou ter um cardápio mais fit.
Além disso, é fácil de preparar.
Comprove:
INGREDIENTES
4 claras de ovo
90 g de sementes de gergelim
90 g de sementes de girassol
90 g de nozes
90 g de sementes de abóbora
90 g de linhaça
Meia colher (chá) de bicarbonato de sódio
100 ml de água
1 pitada de sal
MODO DE PREPARO
Bata as claras com o sal e, em seguida, adicione a água e o bicarbonato de sódio.
Todas as sementes devem ser bem moídas/trituradas para que virem um pó fino (consistência de farinha).
Feito isso, misture os ingrediente e mexa bem.
Asse a mistura por 50 minutos a 180 graus Celsius.
E o pão estará pronto!

Fonte http://www.curapelanatureza.com.br/post/03/2017/o-verdadeiro-pao-saudavel-totalmente-sem-farinha-sem-gluten-e-muito-facil-de-fazer

Receita antiga para combater infecções

Colite, gastrite, úlcera gástrica, constipação e pedras nos rins são problemas que causam bastante desconforto.
Pensando nisso, resolvemos compartilhar com você uma velha receita que combate todas essas condições.
Não é preciso muito: bastam três ingredientes, que podem ser usados separadamente ou misturados.
É uma alternativa natural, econômica e muito poderosa para a saúde do nosso corpo.
Esta receita também ajuda a combater outros problemas, como:
- Tumores cancerosos
- Inflamação, especialmente na barriga
- Colesterol, triglicérides e pressão arterial
- Acidez no sangue
- Estresse
- Feridas cutâneas
Veja como é facil fazer:
INGREDIENTES

200mL de mel de abelha puro
6 colheres (sopa) de gel de babosa
2 limões com casca
MODO DE PREPARO
Corte os limões, sem remover a casca, e coloque no liquidificador.
Adicione o gel da babosa e o mel.
Depois que misturar bem, coe e coloque o líquido na geladeira.
Você deve tomar uma colher (chá) de manhã e outra ao meio-dia.
O tratamento deve seguir assim por uma semana.
Na semana seguinte, reduza o consumo, tomando apenas pela manhã.
Feito isso, descanse na semana seguinte.
Este xarope tem um sabor agradável, mas, se você for sensível ao sabor, pode diluir com um pouco de água.
Armazene a solução numa jarra de vidro dentro da geladeira.
Fazendo a receita direitinho, pode consumir por um mês.
Garantimos que você terá o resultado esperado em pouco tempo.

Este é um blog de notícias sobre tratamentos caseiros. Ele não substitui um especialista. Consulte sempre seu médico. Fonte:http://www.curapelanatureza.com.br/post/05/2017/2-colherinhas-deste-velho-remedio-vai-ajudar-voce-se-livrar-de-ulcera-gastrite-e-colite

terça-feira, 9 de maio de 2017

Aprenda a fazer Queijo Integral com leite de saquinho

Que tal aprender uma receita deliciosa de queijo?
Ela é à base de leite, iogurte e limão.
Se você busca uma dieta saudável, mas não abre mão da variedade de alimentos saborosos, com certeza vai amar esta matéria.
Vamos ensinar como se prepara um queijo caseiro de uma maneira muito simples.
Isso mesmo!
Ninguém precisa ser chef de cozinha para fazer esta receita que, além de muitíssimo saborosa, é também saudável e econômica.
Aqui está:
INGREDIENTES
1 litro de leite integral
1 copo de iogurte natural sem açúcar
Meio limão
1 tolha de algodão limpa
1 panela com a forma de 12 centímetros
MODO DE PREPARO
Deixe o leite no fogo por 15 minutos,
Depois adicione o iogurte e o suco de limão.
Feito isso, misture lentamente por alguns segundos.
Deixe a mistura descansar por três horas, no mínimo.
Passado esse tempo, coloque a toalha de pano dentro de um escorredor.
Em seguida, coloque o escorredor dentro de uma panela.
Depois, derrame a mistura no pano - Isso fará com que você consiga separar o queijo do soro.
A parte que ficou no pano deve ir para uma forma e ser guardada na geladeira por 30 minutos.
Depois é só retirar, descobrir e acrescentar um pouco de sal, se desejar.
Feito isso, leve para a geladeira outra vez para ficar por mais 8 horas.
Finalizada essa etapa, já pode consumir o seu delicioso queijo caseiro.
Com esses ingredientes, já dá para fazer o queijo.
Mas, se quiser um queijo maior, dobre ou triplique a receita.

segunda-feira, 8 de maio de 2017

Problemas com hemorroidas?

O chá dessa planta, Aperta-ruão é a solução para este e outros problemas.
A planta aperta-ruão é muito comum no Brasil e em vários países da América Latina.
Para quem não conhece, a planta é um arbusto que alcança cerca de 8m de altura, com folhagem verde viva, além de flores amarelas.
Ela é famosa por ser capaz de conter hemorragia, isso graças às propriedades adstringentes.
Outro benefício da aperta-ruão é a capacidade de tratar furúnculos na pele.
Na verdade, não só isso.
Ela também é útil para tratar:
- Picadas de inseto
- Feridas leves

- Náuseas
- Dor no estômago
- Vontade de vomitar
- Dispepsia
- Úlcera
- Diarreia
- Resfriados
- Bronquite
- Inchaço abdominal
Já deu para perceber como essa planta é realmente poderosa, não é?
Para fazer o chá de aperta-ruão, basta seguir a simples receita:
INGREDIENTES
2 colheres (sopa) de aperta-ruão
1 litro de água
MODO DE PREPARO
Coloque a água para ferver e, em seguida, despeje as folhas da erva.
Feito isso, tampe e deixe repousar por um tempo.
Essa infusão é ótima para:
- Amigdalite (basta gargarejar várias vezes por dia)
- Problemas digestivos, inflamação, diarreia, úlcera estomacal (beba uma xícara três vezes por dia).
- Limpeza vaginal, por ser um antisséptico natural ( beba um copo 4 vezes por dia)
- Para bronquite, pedras nos rins, cistite, fibroma, gonorreia, leucorreia ( basta tomar um copo da bebida 3 ou 4 vezes por dia).
- Hemorroidas (lave a região com a solução 3 vezes por dia).
- Reumatismo (aplicar na área afetada com um pouco de álcool.
- Herpes (aplicar a solução nas feridas)
Este é um blog de notícias sobre tratamentos caseiros. Ele não substitui um especialista. Consulte sempre seu médico. Fonte:http://www.curapelanatureza.com.br/post/04/2017/lave-suas-hemorroidas-com-isto-elas-vao-desaparecer-em-menos-de-3-dias

Conheça a Ora-pro-nobis e aprenda a cultivar a planta

Onde se planta, nasce. Quando cresce, serve de proteção e alimento. Repleta de flores, ainda deixa o ambiente mais bonito. Por meio da hortaliça ora-pro-nóbis (Pereskia aculeata), a natureza oferece múltiplos benefícios ao ser humano, o que seria motivo suficiente para a escolha de seu nome popular. Mas, conta-se que assim foi batizada pelo costume de ser colhida no quintal de uma igreja, para ser preparada para o almoço, quando o padre iniciava a reza final da missa da manhã. (fotografia acima de Arnaldo Silva. São duas espécies de Ora-Pro-Nobis. A que dá flores rosas é mais usada como cerca-viva e a que produz flores brancas, é a mais usada na culinária)
"Rogai por nós" em português, ora-pro-nóbis é uma frase em latim nem sempre facilmente assimilada. Por isso, pode ser comum encontrar derivações dela, sendo por vezes chamada lobrobó ou orabrobó por agricultores de Minas Gerais, onde a planta é muito difundida na culinária local. Originária do continente americano, encontram-se variedades nativas dessa hortaliça perene, rústica e resistente à seca da Flórida, nos Estados Unidos, à região sudeste do Brasil. De fácil manejo e adaptação a diferentes climas e tipos de solo, produtiva e nutritiva, a ora-pro-nóbis é uma boa alternativa para produtores iniciantes no cultivo de hortaliças.
Ela pertence à família das cactáceas. Na idade adulta, sua estrutura em forma de arbusto torna-se uma excelente cerca viva, tanto para ser usada como quebra-vento quanto como barreira contra predadores. A existência de espinhos pontiagudos nos ramos inibe o avanço de invasores.
Perfumadas, pequenas, brancas com miolo alaranjado e ricas em pólen e néctar, as flores brotam na ora-pro-nóbis de janeiro a abril. De junho a julho, ocorre a produção de frutos em bagas amarelas e redondas. A generosa e bela floração é um ornamento ao ambiente, ideal para decoração natural de propriedades rurais, como chácaras, sítios e fazendas. A ora-pro-nóbis também pode ser plantada em quintais e jardins de residências. As folhas são a parte comestível da planta. Secas e moídas, elas são usadas em diferentes receitas, especialmente em sopas, omeletes, tortas e refogados. Muita gente prefere consumir as folhas cruas em saladas, acompanhando o prato principal. Outros as usam como mistura para enriquecer farinha, massas e pães em geral. Galinha caipira com ora-pro-nóbis é prato tradicional da culinária mineira. É servido cotidianamente nas cidades históricas do estado, como Diamantina, Tiradentes, São João Del Rey e Sabará, onde anualmente há um festival da hortaliça.
In natura ou misturada na ração, animais também aproveitam os benefícios das folhas da ora-pro-nóbis. Elas estão entre as que possuem maior teor de proteína, com algumas variedades chegando a mais de 25% da matéria seca. Na medicina popular, elas são indicadas para aliviar processos inflamatórios e na recuperação da pele em casos de queimadura.
RAIO-X
SOLO: qualquer tipo
CLIMA: tropical e subtropical
ÁREA MÍNIMA: pode ser plantada em jardins e quintais
COLHEITA: a partir de 3 meses após o plantio
 CUSTO: órgãos de extensão rural do município podem fornecer estacas
MÃOS À OBRA
INÍCIO
A variedade mais indicada para cultivo com fins comerciais é a que produz flores brancas. Elas podem ser fornecidas por órgãos de extensão rural ou em feiras de produtores.
PLANTIO Sua rusticidade permite que seja cultivada em diversos tipos de solo, inclusive não exige que eles sejam férteis. A ora-pro-nóbis também se desenvolve em ambientes com incidência de sol ou meia--sombra. Inicie o plantio no começo do período das chuvas. A hortaliça é resistente à seca, mas o acesso à água nessa fase do cultivo estimula o crescimento dos ramos.
PROPAGAÇÃO A ora-pro-nóbis é propagada por meio de estacas. Para conseguir melhor pegamento das mudas, use a região localizada entre as partes mais tenras e as mais lenhosas da haste. Corte cada estaca com 20 centímetros de comprimento e enterre um terço dele em substrato composto por uma parte de terra de subsolo e outra de esterco curtido. Após o enraizamento, transplante as mudas para o local definitivo.
ESPAÇAMENTO Varia de acordo com a finalidade do cultivo. A ora-
-pro-nóbis pode ser usada como cerca viva, ornamentação e para consumo das folhas. Se a prioridade for o alimento, pode-se adensar o espaçamento, deixando de 1 a 1,30 metro entre fileiras e de 40 a 60 centímetros entre plantas. Mas as folhas podem ser consumidas em qualquer caso, mesmo se a destinação tiver fins ornamentais ou a construção de cerca viva.
CUIDADOS Embora seja pouco exigente em adubações, mantenha bom nível de matéria orgânica no solo para um pleno desenvolvimento das plantas e boa produção de folhas. Faça manutenção a cada dois meses e execute podas dos ramos a cada 75 a 90 dias na estação chuvosa e a cada 90 a 100 dias na estação seca, quando a planta deve ser irrigada.
PRODUÇÃO A partir de três meses após o plantio, pode ser iniciada a colheita das folhas da ora-pro--nóbis - após a poda dos galhos. As folhas devem apresentar de 7 a 10 centímetros de comprimento. Coloque luvas para a hora da coleta, a fim de evitar ferimentos pelos espinhos. Em geral, cada corte rende entre 2.500 e 5.000 quilos de folhas por hectare, variação que ocorre de acordo com a condução e a época de desenvolvimento da cultura.

--------------------------------------------------------------
*Nuno R. Madeira é pesquisador da Embrapa Hortaliças, BR-060, Km 09, Caixa Postal 218, CEP 70359-970, Brasília, DF, tel. (61) 3385-9000, sac@cnph.embrapa.br; e Georgeton S. R. Silveira é extensionista da Emater-MG (Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural de Minas Gerais), Rua Raja Gabaglia, 1626, Gutierrez, CEP 30441-194, Belo Horizonte, MG, tel. (31) 3349-8000, portal@emater.mg.gov.br
----------------------------------------------------------------
Onde adquirir mudas: órgãos de extensão rural do município ou feiras de produtores podem fornecer estacas
Mais informações: o Mapa (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento), a Emater-MG e a Embrapa Hortaliças estão lançando o Manual de hortaliças não convencionais; informações sobre a edição podem ser obtidas na Emater-MG, portal@emater.mg.gov.br ou pelo telefone (31) 3349-8000

-------------------------------------------------------------------
Fonte: http://revistagloborural.globo.com/vida-na-fazenda/como-plantar/noticia/2013/12/como-plantar-ora-pro-nobis.html  As fotos são inserções nossas, a primeira de autoria de Arnaldo Silva e a segunda e terceira de Beatriz do Lino, Bocaiuva MG. 

quinta-feira, 4 de maio de 2017

Benefícios do Chá de Hibisco

É antidepressivo, ajuda a emagrecer, combate doenças do fígado, rins...O chá de hibisco é uma infusão preparada com a parte do cálice do botão seco de uma flor chamada Hibiscus Sabdariffa.
Ele tem se tornado o mais novo aliado de quem quer emagrecer, devido às suas propriedades capazes de potencializar os resultados de uma dieta bem regrada com exercícios físicos regulares, além de diminuir a gordura abdominal e dos quadris, pela sua ação diurética.
O chá de hibisco também tem um sabor mais agradável que os do chá preto e chá verde, pois tem um toque de framboesa.
A flor de hibisco utilizada para preparar o chá não é a flor ornamental vista em jardins e vasos. Certifique-se disso no momento da compra, verificando o nome científico da planta no rótulo.
Para que os benefícios do chá de hibisco sejam alcançados, deve-se saber como prepará-lo corretamente, para não perder as suas propriedades mais importantes.
Benefícios do chá de hibisco
A flor de hibisco tem diversos benefícios para a saúde, tais como: controlar os níveis de colesterol, regular a pressão arterial, facilitar a digestão, impedindo que parte do carboidrato e da gordura dos alimentos sejam absorvidos, e anular a ação do hormônio antidiurético presente nos rins.
Emagrecedor
Por ajudar a acelerar o metabolismo, um dos usos mais populares do chá de hibisco é voltado à perda de peso.
Com grande quantidade de flavonoides e ácidos orgânicos, substâncias antioxidantes e anti-inflamatórias, o chá de hibisco estimula a queima de gordura corporal, previne a retenção de líquidos, facilita a digestão e regulariza o intestino, contribuindo para a perda de peso. Essas mesmas substâncias ajudam o corpo a se desfazer das toxinas, as grandes vilãs do emagrecimento.
Dois flavonoides são importantes para quem deseja perder peso: a quercetina, que proporciona a ação diurética, e a antocianina, que evita o acúmulo de gordura. Esses mesmos flavonoides também ajudam a aumentar o “colesterol bom” (HDL) e a diminuir o “colesterol ruim” (LDL).
Redução de colesterol
Por possuir quantidades expressivas de antioxidantes, o chá de hibisco é ótimo quando o assunto é redução de colesterol. Os antioxidantes auxiliarão a reduzir os níveis do colesterol ruim, protegendo a saúde das doenças cardíacas e também protegendo os vasos sanguíneos do corpo.
Contra as doenças do fígado
Ainda devido à grande quantidade de antioxidantes, o chá de hibisco pode ser utilizado para garantir uma proteção a mais para o fígado. Isso pode ser afirmado pois os antioxidantes ajudarão a neutralizar os radicais livres presentes nas células e tecidos do corpo. Desta forma, além de proteger o fígado, o chá de hibisco será um grande aliado no tratamento de doenças relacionadas a este órgão.
Anti-inflamatório e antibacteriano
Por ser rico em ácido ascórbico (a famosa vitamina C), o chá de hibisco é um forte estimulante do sistema imunológico de nosso corpo. Portanto, o consumo balanceado do chá de hibisco irá proporcionar um fortalecimento geral da saúde, garantindo as propriedades anti-inflamatórias e antibacterianas desta flor, prevenindo resfriados e gripes.

Para o equilíbrio hormonal: contra os sintomas menstruais e de TPM
O chá de hibisco também pode ter seu uso e efeito no alívio de sintomas e dores menstruais. Por auxiliar na restauração do equilíbrio hormonal, o chá de hibisco traz inúmeros benefícios na redução dos sintomas da menstruação.
Chá de hibisco é antidepressivo
Por possuir diversas vitaminas e minerais (como flavonoides), o chá de hibisco é um conhecido antidepressivo natural da medicina. O seu consumo regulado irá ajudar efetivamente na redução dos sintomas de depressão e também ansiedade, ajudando a relaxar a mente e também o corpo.
Controle da pressão arterial pelo chá de hibisco
Um relatório publicado em 2008 pela American Heart Association mostra que o chá de hibisco é um poderoso agente na redução da pressão arterial em adultos hipertensos. Isso significa que o consumo regular do chá de hibisco será capaz de auxiliar e ajudar aqueles que sofrem com alta pressão constante, caracterizados pelo quadro de hipertensão.
Chá de hibisco é bom para a digestão
Por incrementar o funcionamento do intestino o chá de hibisco também pode auxiliar na digestão, facilitando que o organismo seja capaz de digerir e eliminar os alimentos rapidamente. Portanto é um bom chá para ser tomado após as refeições além da ajuda na perda de peso já mencionada acima.
Contraindicações
Não exagere no consumo do chá, pois pode causar intoxicação. Consulte seu médico ou nutricionista antes de começar a tomá-lo com frequência.
Por seu efeito diurético, o excesso do consumo de chá de hibisco pode levar à eliminação excessiva de eletrólitos importantes, como o sódio e o potássio.
O chá de hibisco é contraindicado para gestantes e mulheres que desejam engravidar, uma vez que pode afetar a fertilidade e os hormônios femininos, em especial o estrogênio.
O chá de hibisco é um auxiliar do emagrecimento. É preciso que você tenha uma alimentação balanceada e pratique atividades físicas para conseguir um emagrecimento efetivo e saudável.

Como preparar o chá de hibisco?
A maneira correta de como preparar o chá de hibisco, sem correr o risco de perder as suas propriedades, é através da infusão dos cálices do botão seco da flor. Opte por consumi-lo in natura, ou seja, sem estar triturado como nos saquinhos de chá industrializados.
Confira, a seguir, duas receitas:
Chá de hibisco com gengibre e limão-siciliano
Ingredientes

1 colher (sopa) de hibisco
1 colher (sopa) de chá mate
1 pedaço de gengibre
1/2 limão siciliano
Modo de preparo
Ferva o gengibre ralado durante 8 minutos em 250 ml de água.
Após esse tempo, desligue o fogo e acrescente o hibisco e o chá matte.
Deixe tampado durante 5 minutos.
No momento de tomar, esprema meio limão.
Se necessário, adoce com mel.
Chá de hibisco com canela e gengibre
Ingredientes

1 xícara (chá) de água filtrada
2 colheres (chá) de hibisco
1 unidade de canela em pau
1 colher (chá) de lascas de gengibre
Modo de preparo
Ferver a água. Em uma xícara colocar o hibisco, a canela e o gengibre. Tampar por 5 minutos e coar. Servir em seguida.

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Conheça o projeto EcoVida

Postagens populares

Seguidores