Quem sou eu

Minha foto

Sou Fotógrafo Profissional, Sertanista e atualmente trabalho com fotografia de Eventos Sociais em SP.

Arquivo do blog

Tecnologia do Blogger.

terça-feira, 25 de outubro de 2016

Conheça os principais pratos típicos do Cerrado

Arroz de puta rica: 
Fotografia de Mauro Holanda
O nome desta receita tem origem controversa: alguns dizem que foi batizado assim porque teria sido o prato preferido de uma rica cafetina; outros afirmam, talvez com mais acerto, que é a fartura de ingredientes do prato que lhe rendeu o curioso apelido. A extensa lista de ingredientes deste arroz inclui pedaços de frango, linguiça, bacon e costelinhas de porco.
Doce cristalizado: 
O preparo destes tradicionais doces é todo artesanal. Depois de ficar de molho em cal virgem, pedaços de abóbora são lavados e colocados em um tacho de cobra para cozinhar com uma calda bem grossa de açúcar. Quando atinge o ponto, o doce seca ao sol em um jirau, uma espécie de estrado. O mesmo processo de cristalização pode ser feito com mamão e cidra.
Galinhada com pequi: 
É uma das mais tradicionais receitas feitas de pequi. A frutinha nativa dá ao prato o caldo amarelo e o sabor singular, intensificado pelos pedacinhos de galinha dourados no óleo e cozidos com arroz, açafrão e, também, pequi. Acompanha vinagrete e, normalmente, vai à mesa em dias de eventos importantes e casamentos.
Produtos e ingredientes típicos do Cerrado
Araticum: 
Da mesma família da fruta-do-conde, a fruta desta árvore típica do cerrado serve ao preparo de bolachas, bolos, compotas, gelatinas, geleias, pudins, sorvetes e sucos. Também pode ser consumida ao natural.
Cagaita:
Nativa do cerrado, esta árvore tem folhas parecidas com as da goiabeira. O fruto, conhecido pelo mesmo nome, é redondo, achatado e amarelo. Seu sabor ácido aparece em geleias, sucos e sorvetes.
Cajuzinho do cerrado: 
Fotografia de Tom Alves
É o fruto de uma espécie de cajueiro típica do cerrado. Menor que o caju nordestino, vermelho e bastante suculento, revela um sabor doce e ao mesmo tempo ácido, que vai bem com geleias, sorvetes, sucos e licores. Sua castanha é consumida torrada.
Castanha de baru: 
Do baruzeiro, nativo do cerrado, extrai-se esta castanha, que é consumida torrada em receitas de pães, biscoitos, sopas, pé de moleque e paçoca.
Guariroba: Também chamada de palmito amargoso, é extraída de uma palmeira nativa do Brasil e muito comum no cerrado. Os frutos cinzentos entram no recheio do tradicional empadão goiano.
Pequi: 
Toda criança do cerrado aprende logo cedo que não se deve morder pequi. É que este fruto amarelinho tem espinhos afiados entre a polpa e o caroço. Só dá para prová-lo ao raspar levemente os dentes na casca. De aroma e sabor peculiar, o pequi é utilizado inteiro ou em polpa em diversas receitas da região, a exemplo da galinhada, além de ser base de licores e sobremesas. É bastante encontrado em conserva.

Pimenta-de-bode: 
Fotografia de Arnaldo Silva 
A pimenta mais comum do cerrado aparece em grãos pequenos e arredondados, de cor verde, amarela ou vermelha e formato que lembra uma pitanga. Bastante picante, tem um cheiro forte que justifica seu curioso nome. É utilizada como tempero de carnes, de arroz e de feijão, e pode ser encontrada em conservas feitas em garrafas de cachaça.

Fonte parcial das informações:http://comida.ig.com.br/pelomundo/cerrado/4fd6328063a8bb36eb41858d.html#praot

0 comentários:

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Conheça o projeto EcoVida

Postagens populares

Seguidores