Quem sou eu

Minha foto

Sou Fotógrafo Profissional, Sertanista e atualmente trabalho com fotografia de Eventos Sociais em SP.

Arquivo do blog

Tecnologia do Blogger.

segunda-feira, 17 de outubro de 2016

Conheça o COITÉ e suas utilidades

Nome Botânico: Persea americana MUI, syn. Lauruspersea L,
syn. Persea gratíssima Gaertn.

Parte Utilizada: fruto, folhas e óleo

Histórico: é originária da América Central, cultivada em todo o Brasil, principalmente nos Estados do Norte. Prefere os solos sílico-argilosos, férteis e profundos. Sabe-se que a baixa umidade do ar lhe é prejudicial. É cultivada tanto pelo sabor de seus frutos, bem como pela planta ornamenta, a qual pode atingir até 15m de altura.Dá frutos o ano inteiro.

Ação: diurética, emenagoga, colagoga, carminativa, balsâmica e expectorante. O óleo é anti-raquítico, emoliente, calmante e suavizante da pele.


Os índios da região amazônica usam para tomar o caxiri. Em outras áreas também se usa para tomar banho, inclusive e tem outras utilidades como o artesanato, além de ser uma planta usada na medicina alternativa como as folhas que são usadas como diurético.

A flor é grande arroxeada e típica dessa planta que é abignoneácea, semelhante ao ipê roxo, ipê amarelo, são plantas da mesma família’.

O fruto é usado para artesanatos, utensílios domésticos como as famosas cuais e para fazer o berimbau, o instrumento musical da capoeira na Bahia.

Suas folhas são usadas para fazer xaropes. As sementes são comestíveis depois de torradas ou cozidas.

Para fazer a cuia basta tirar uma das bolas do pé quando estiver amarelada e deixar na sombra por 5 dias até a casca secar. Cortar no meio, tirar a polpa de dentro, secar e pronto. As cuias são famosas nas cozinhas mineiras e nas rodinhas de cachaça.


Propriedades Farmacológicas
Sua propriedade diurética é comparável à da teobromina, aumentando a produção de urina, com ação direta sobre o túbulo renal, contudo com a vantagem de ser destituída de seus efeitos tóxicos.
O constituinte ativo: D-perseitol, encontrado em toda a planta, inclusive nas folhas, demonstrou aumentar a diurese em estudos realizados em cães.
Como revelou-se ser um diurético direto, não manifesta atividade cardíaca nem sobre a pressão arterial.
Atua nas deficiências de secreção biliar, aumentando a secreção de bile pelo fígado, além de evitar a formação de gases intestinais e estomacais. Estimula o fluxo menstrual, ação atribuída aos flavonóides que o constituem. Relaxa a musculatura lisa brônquica.
O óleo em virtude da riqueza de vitaminas, apresenta grande utilidade terapêutica, principalmente como anti-raquítico. É considerado um óleo não secativo.

Indicações
– Fitoterápico: nas afecções hepáticas, doenças renais e das vias urinárias, cistites, uretrites, diarreia e disenteria, gases intestinais e estomacais.
– Fitocosmético: para peles e cabelos secos e ressecados.
Contra-indicações:
Não há referências na literatura consultada sobre contra-indicações.
Efeitos colaterais:
Desde que utilizado na dosagem correta não apresenta efeitos colaterais.
Uso durante gestação / lactação:
Não há referência em literatura consultada.

Uso interno:
Infuso: 50g de folhas em l litro de água. Tomar l xícara 3 a 4 vezes ao dia.
Extrato fluído: 2 a 10ml /dia.
Extrato seco: l g ao dia.

Uso Externo:
– Decocto: na forma de compressas locais, várias vezes ao dia.
– Óleo: produtos para massagens
Fitocosmético:

– Óleo: produtos de tratamento para pele e cabelos (óleos, cremes e loções): 0,1 a 5%

Fonte: www.orienteocidente.wordpress.com

0 comentários:

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Conheça o projeto EcoVida

Postagens populares

Seguidores